Myspace comprado pela empresa detentora da revista Time


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

O Myspace ainda existe e vai ser comprado pela Time Inc, empresa responsável por publicações como a revista Time, a Fortune, a Entertainment Weekly, a NME ou a People. O futuro do site – que foi relançado em 2013 com a ajuda do músico Justin Timberlake – é agora incerto.

Na verdade, a Time Inc não comprou apenas o Myspace, mas toda a Viant, a firma por detrás do site de música, que, entre 2005 e 2008, foi a maior rede social do mundo. Os anos dourados do Myspace terminaram quando, entre meados de 2008 e 2009, o Facebook conseguiu ganhar relevância e captar a atenção dos internautas. Desde então, a rede social de Mark Zuckerberg ganhou visitantes e utilizadores enquanto que a plataforma detida pela News Corporation, uma gigante da imprensa norte-americana, perdeu-os. Nem mesmo o relançamento em 2013, salvou o Myspace.

Nesse altura, a rede social tinha acabado de ser comprada pela Specific Media, uma empresa do grupo Viant, especializada em publicidade online. O novo MySpace lançado em 2013 prometia um foco na música, conectando artistas e fãs. No fundo, o Myspace percebeu que não podia continuar a fazer o mesmo que o Facebook, pois essa guerra já estava perdida, e deixou de ser um espaço para partilhar fotos e outros conteúdos com amigos, virando-se para as suas raízes: a música.

O interesse da Time Inc na Viant não é propriamente o MySpace (que em Janeiro do ano passado tinha 50 milhões de utilizadores mensais), mas sim a plataforma de marketing, a rede de anúncios e a base de dados que esta empresa criou. A Viant vai passar a fazer parte da família Time Inc para ajudar esta a compensar as perdas na áreas de negócio mais tradicionais, como o editorial. Para mais detalhes, consulta o comunicado de imprensa.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.