Nokia anuncia o regresso ao mercado dos telemóveis


Foram cerca de 14 os anos em que a Nokia ocupou o lugar cimeiro do mercado dos telemóveis. O reinado da empresa finlandesa conheceu um ponto de viragem a Janeiro de 2007 quando Steve Jobs deu a conhecer ao público o primeiro iPhone.

Daí em diante o caminho foi atribulado para a Nokia e apesar de em 2009 ainda ter feito render o seu 5230 (150 milhões de telefones vendidos), a empresa nunca mais conseguiu alcançar os resultados de outros tempos e acabou por vender o seu departamento de telemóveis à Microsoft por um valor a rondar os 7 mil milhões de euros.

O MWC deste ano poderá, no entanto, ser o primeiro sinal de ressuscitação da marca nórdica. Ontem em Barcelona, onde decorre o MWC 2016, o CEO da Nokia, Rajeev Suri, confirmou que a tecnológica irá regressar ao mercado dos telemóveis sob o seu desígnio. A data ainda não está agendada mas segundo as declarações de Suri “pode acontecer [já] em 2016”.

O regresso da Nokia deverá acontecer através de uma parceria com um fabricante que se encarregará de produzir os dispositivos, de resto, tudo terá o cunho da marca. “Nós queremos estar numa posição que nos permita desenhar os dispositivos em questão com as medidas de controlo apropriadas“, disse Suri durante uma conferência de imprensa em Barcelona.

Nós últimos anos a empresa tem existido à sombra do mediatismo. Em 2015 apresentou um tablet bonito mas pouco inovador e tentou imiscuir-se no mundo da realidade virtual com uma câmara 360º. Nenhum dos produtos lhe valeu muitos créditos mas esperamos que este seja o início de uma nova era para a marca que nos trouxe o mítico 3310.

mwc16banner