Poemas inéditos de Herberto Helder chegam um ano depois da sua morte


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Chega dia 23 de Março, pela mão da Porto Editora, um livro de poemas inéditos de Herberto Helder. Recolhidos e seleccionados pela sua mulher, Olga Ferreira Lima, vai chamar-se Letra Aberta e assinala o primeiro aniversário da morte do autor.

Diz a editoria que é “uma primeira abordagem à riquíssima “oficina” a partir da qual Herberto construía o seu “poema contínuo.”

Poemas Canhotos foi o último título de Herberto Helder a ser concluído em vida e saiu em 2015, depois de um período de inspiração em que nos presenteou ainda com Servidões (2013) e A Morte Sem Mestre (2014). Todos estes últimos títulos, assim como a sua procura desmesurada, criaram um hype à volta do poeta que parece ainda não ter desaparecido.

No comunicado que enviou à imprensa, a Porta Editora garante que este volume, uma selecção muito especial de poemas do autor icónico, “não é a edição crítica que a obra inédita de Herberto Helder merece e que certamente será publicada no futuro, agora que o seu espólio está a ser integralmente digitalizado.” Ficámos também a saber que a Porta Editora chegou a um acordo com a Tinta-da-China para a publicação da obra de Herberto no Brasil.

Se calhar um dia destes até vamos poder ler Cobra sem pagarmos trezentos euros num alfarrabista.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!