Poemas inéditos de Herberto Helder chegam um ano depois da sua morte


 
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Chega dia 23 de Março, pela mão da Porto Editora, um livro de poemas inéditos de Herberto Helder. Recolhidos e seleccionados pela sua mulher, Olga Ferreira Lima, vai chamar-se Letra Aberta e assinala o primeiro aniversário da morte do autor.

Diz a editoria que é “uma primeira abordagem à riquíssima “oficina” a partir da qual Herberto construía o seu “poema contínuo.”

Poemas Canhotos foi o último título de Herberto Helder a ser concluído em vida e saiu em 2015, depois de um período de inspiração em que nos presenteou ainda com Servidões (2013) e A Morte Sem Mestre (2014). Todos estes últimos títulos, assim como a sua procura desmesurada, criaram um hype à volta do poeta que parece ainda não ter desaparecido.

No comunicado que enviou à imprensa, a Porta Editora garante que este volume, uma selecção muito especial de poemas do autor icónico, “não é a edição crítica que a obra inédita de Herberto Helder merece e que certamente será publicada no futuro, agora que o seu espólio está a ser integralmente digitalizado.” Ficámos também a saber que a Porta Editora chegou a um acordo com a Tinta-da-China para a publicação da obra de Herberto no Brasil.

Se calhar um dia destes até vamos poder ler Cobra sem pagarmos trezentos euros num alfarrabista.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.