Gulbenkian procura ideias para melhorar a vida dos mais velhos. A melhor recebe 5 mil euros


O Hack For Good é um hackathon organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian onde se pretende encontrar soluções tecnológicas que contribuam para melhorar a qualidade de vida dos mais velhos. Esta iniciativa decorrerá nos dias 23 e 24 de Abril na sede da Fundação, em Lisboa.

À equipa que apresentar a melhor ideia está destinado um prémio de 5 000 euros e à segunda melhor um prémio de 2 000 euros, sendo que há ainda mais de 30 000 euros em produtos e serviços para as três melhor classificadas e uma série de vantagens a que todos os participantes terão acesso.

O Hack For Good pretende reunir 150 participantes de áreas como programação, design, engenharia, gestão e outros profissionais, que estarão em contacto com seniores, profissionais da área da saúde, investigadores e cuidadores.

As inscrições podem ser feitas através do site hackforgood.pt e as ideias a desenvolver devem estar inseridas nos seguintes subtemas: Comunicação e Relações Sociais, Estimulação Cognitiva, Transferência de Conhecimento, Saúde e Bem-Estar, Nutrição, Finanças Pessoais, Mobilidade e Apoio a Cuidadores.

O hackathon será composto por mais de 30 horas de trabalho, ao longo das quais existirão também sessões de relaxamento, workshops, networking e momentos de entretenimento.

A população mundial está a envelhecer a um ritmo acelerado e Portugal não é excepção. Segundo dados do INE, o número de idosos ultrapassou o número de jovens pela primeira vez em Portugal no ano 2000, ocupando o nosso país o quinto lugar no índice de envelhecimento em relação aos 28 estados-membro.

Ao mesmo tempo que os números ligados ao envelhecimento da população aumentam, a Europa assiste a um boom no sector tecnológico. Para a Fundação Calouste Gulbenkian, a tecnologia é uma oportunidade de criar respostas inovadoras e escaláveis internacionalmente, para os principais problemas ligados ao envelhecimento da população.

Portugal tem já alguns exemplos de soluções tecnológicas para problemas sociais, no entanto o caminho a seguir ainda é longo e carece de inovação. Através de um evento que diz ser inédito em Portugal, a Fundação Calouste Gulbenkian quer consciencializar a população para os problemas presentes na sociedade moderna e ser o motor impulsionador do desenvolvimento de projectos tecnológicos com um impacto social positivo de longo prazo.