Itália segue exemplo de França e propõe lei contra o desperdício alimentar


“É mais fácil doar do que desperdiçar”. É este o lema da nova proposta italiana que tem como objectivo evitar o desperdício de comida, facilitando a doação de alimentos provenientes de lojas e supermercados para os mais necessitados.

Depois de a França ter proibido o desperdício alimentar nos supermercados, chegou a vez da Itália seguir os mesmos passos.

Enquanto que os estabelecimentos comerciais franceses que desperdicem comida serão multados, em Itália pretende-se privilegiar e compensar os cumpridores da lei. Assim, o Estado propõe reduzir a taxa de impostos sobre o lixo num valor proporcional à quantidade de alimentos doados por cada estabelecimento.

Maria Chiara Gadda, deputada do Partido Democrático, em declarações ao jornal La Reppublica, afirma que “punir quem desperdiça alimentos não é útil” e, por isso, deve-se “encorajar as doações.” De acordo com Maurizio Martina, Ministro italiano da Agricultura, o país consegue recuperar, aproximadamente, “550 milhões de toneladas de comida em excesso” mas o objectivo é duplicar estes números e “chegar aos 1000 milhões”. Os alimentos serão doados a várias instituições de solidariedade.

Estes novos incentivos aos comerciantes pretendem dar resposta ao problema de desperdício alimentar no país cujos valores rondam os 1200 milhões de euros. Segundo informação avançada pelo jornal Independent, a lei será votada favoravelmente já na próxima semana.

Itália é, assim, o segundo país europeu a apostar numa reutilização racional de toda a comida não vendida nos supermercados. Em Portugal, estima-se que cerca de um milhão de toneladas de alimentos sejam desperdiçados anualmente. Apesar de algumas organizações – como é o caso da Re-Food, Fruta Feia e do projecto Zero Desperdício – terem vindo a reunir esforços para combater estes números, ainda há muito trabalho por fazer. Resta-nos continuar a lutar para que uma lei semelhante faça parte dos projectos futuros do país.

Foto: Flickr