Livro de inéditos de Herberto Helder lançado esta quarta-feira


A Porto Editora anunciou a publicação de Letra aberta, livro de inéditos de Herberto Helder que será publicado dia 23, quarta-feira, quando se cumprirá um ano sobre a morte do poeta.

No comunicado da Porto Editora pode ler-se que Letra aberta é “um livro de poemas inéditos, recolhidos nos cadernos [do escritor], cuja edição é de tiragem única, de acordo com o que sempre foi a vontade do autor”.

“Não tenho nenhuma lei nem regra/ para desordenar um poema escrito/ não tenho mais que o desejo de tocar-te/ ó coisa inúmera que entretanto/ além de tocar/ conto e reconto/ continuadamente”, é o poema que se pode ler no início de Letra aberta.

A Porto Editora anunciou ainda a digitalização do espólio do poeta e uma edição crítica “que a sua obra inédita merece” a ser publicada no futuro. “Letra aberta é uma escolha realizada pela viúva do poeta, que nos permite uma primeira abordagem à riquíssima «oficina» a partir da qual o poeta foi construindo o seu poema contínuo”, lê-se ainda no comunicado.

A editora anunciou ainda o acordo com a sua homóloga Tinta da China para a publicação da obra de Herberto Helder no Brasil.

Tendo falecido na sua casa em Cascais na noite de 23 para 24 de Março de 2015, Herberto Helder é e será para sempre recordado como um dos nomes mais indeléveis da literatura portuguesa. Um verdadeiro “mago da palavra” como recordava o catedrático de Literatura, Arnaldo Saraiva, aquando da morte do poeta.

Autor de mais de cinquenta obras, Herberto Helder, nasceu na Madeira em 1930, foi homem de vários ofícios mas foi na escrita que encontrou constância e reinventou a arte, tornando-se um verdadeiro mestre. O crítico Pedro Mexia considera-o ainda o maior poeta da segunda metade do século XX, dono de “uma apropriação da palavra sem desconfianças, ironias ou cinismos.”