Mais 7 confirmações para o Bons Sons 2016


A celebrar 10 anos, o Bons Sons mantém a sua matriz original: a apresentação de projectos sonoros nacionais de diferentes estilos e influências que varrem o espectro musical. A provar isso mesmo estão a nova leva de 7 nomes para a edição de 2016, de artistas emergentes a consagrados, todos com trabalho actual: Cristina Branco, Flak, Keep Razors Sharp, Golden Slumbers, Few Fingers, Grutera, e Bonecos e Campaniça. Estas confirmações juntam-se às 10 já anunciadas.

A próxima edição do Bons Sons decorre de 12 a 15 de Agosto de 2016 em Cem Soldos, Tomar.

Cristina Branco

Uma voz única que empresta ao Fado letras de poetas eternos mas pouco habituais neste registo. Acompanhada por compositores e músicos de excelência, é um dos grandes nomes da música em Portugal que estará presente no Bons Sons 2016.

Flak

Compositor e guitarra fundadora dos Rádio Macau e dos Micro Audio Waves, vai apresentar músicas que abrangem as diversas fases do seu percurso, incluindo temas seus a solo, outros para os quais contribuiu com o seu talento e algumas composições novas.

Keep Razors Sharp

Oscilam no campo do psicadelismo, shoegaze e pós-rock, e com dois singles do seu álbum de estreia homónimo em sucesso radiofónico serão uma das fortes atracções do Bons Sons.

Golden Slumbers

Projecto das irmãs Falcão, é uma das revelações nacionais, tendo estado nomeado para melhor actuação no IFA2016. As harmonias vocais dão substância ao entardecer folk que não se furta às influências de Simon & Garfunkel ou Fleetwood Mac.

Few Fingers

Nascidos do Leiria Calling, as suas canções simples e despretensiosas, embaladas pela lap steel guitar, vão dar a conhecer as suas composições de legado folk e escola indie. Mas esta não é a sua primeira vez em Cem Soldos – o vídeo do single “Our Own Holidays” foi gravado na aldeia do Bons Sons.

Grutera

Tem criado um burburinho na imprensa nacional pela sua peculiar abordagem à guitarra. Os locais que escolhe para a tocar, o Túnel das Barricas da Herdade do Esporão ou o Mosteiro de Santa Maria de Cós, dão-lhe uma identidade diferente. Estamos curiosos para saber a que soa quando tocada na aldeia.

Bonecos e Campaniça

Juntam o teatro de marionetas à música da viola campaniça. Os bonecos ganham vida ao som das composições do instrumento português, numa dramaturgia que cativa o sorriso e desperta o imaginário fundado nos detalhes da cultura portuguesa.