Nova leva de confirmações para o SBSR 2016


O cartaz do 22.º Super Bock Super Rock está cada vez mais bem composto, e a qualidade dos nomes que o compõem é inegável. Hoje, anunciamos mais três, de estilos diferentes, que prometem conquistar a audição de todos os que se deslocarem ao Parque das Nações: The Temper Trap (14 de Julho, Palco Super Bock), Kelela (16 de Julho, Palco EDP) e Lucius (14 Julho, Palco EDP).

Os australianos The Temper Trap nasceram há uma década, mas só em 2009, com o single “Sweet Disposition”, retirado do álbum de estreia, Conditions, é que caíram nas bocas do mundo. A sua música tem servido de banda sonora para publicidade, cinema e videojogos, e, tanto ao vivo como em estúdio, são de uma energia imparável, fundindo o rock com a pop electrónica. Em 2012, editaram o segundo LP, um disco homónimo que os confirmou como um dos mais seguros valores do universo indie actual; em 2016, estão de volta e já lançaram a nova “Thick As Thieves”, prevendo-se a publicação de mais material até ao encontro com o público português.

A norte-americana Kelela Mizanekristos é um dos nomes mais promissores da música que se equilibra entre o grime, a soul e o R&B. Antes de se fixar no som que lhe tem garantido enormes elogios, cantou standards de jazz em cafés, integrou a banda indie rock Dizzy Spells e tentou, inclusive, o metal progressivo depois de conhecer Tosin Abasin. Hoje, o seu timbre vocal e imagem distintivos são alvo de enormes enaltecimentos, e o clube de fãs da jovem inclui nomes tão sonantes como o de Björk.

Lucius, o quinteto de Brooklyn liderado pelas carismáticas Jess Wolfe e Holly Laessig, é uma das mais charmosas e vibrantes bandas a cruzar indie rock com pop electrónica actualmente. O segundo disco de originais, Good Grief, tem lançamento marcado para amanhã, dia 11 de Março, e promete mostrar as novas sonoridades dos Lucius, que já passaram por festivais como Bonnaroo, Lollapalooza ou Reading and Leeds e partilharam palco com nomes como Roger Waters, Jack White ou David Byrne.