O alfabeto da Google tem mais uma letra: J de Jigsaw


Criado há cinco anos, o Google Ideas era como uma espécie de repositório de ideias da Google para combater o crime organizado a nível mundial e também promover o acesso à internet pelos muitos milhares de milhões de pessoas que ainda não o conseguem fazer livremente. Desde meados do mês passado, o Google Ideas, agora detido pela Alphabet, vai ser expandido e vai passar a chamar-se Jigsaw.

A alteração foi anunciada por Eric Schmidt, atual presidente da Alphabet, numa publicação no Medium: “estamos a anunciar a expansão do Google Ideas, o repositório de ideias da Google, como uma incubadora de tecnologias chamado Jigsaw. A missão da equipa é a de usar a tecnologia para combater os maiores desafios geopolíticos (…)”, desde a violência extrema à censura online.

O Google Ideas, criado em 2011, sempre foi considerado a parte social da Google, agora chamada Alphabet, sendo presidida por Jared Cohen. “Muitos dos novos utilizadores da internet estão a ficar online onde sítios onde a censura, corrupção ou violência são realidades diárias”, aponta e comunicado.

Um dos principais resultados do Google Ideas é o Project Shield, um serviço gratuito que utiliza tecnologia da Google para proteger sites noticiosos de ataques por DDoS. A lavagem de dinheiro e o tráfico humano são outros problemas que a gigante da tecnologia está a mirar.

Porquê “Jigsaw”? Traduzido à letra, o nome significa “quebra-cabeça”. E é mesmo assim que a Alphabet vê o mundo: um “puzzle complexo de desafios físicos digitais”. O objetivo é ajudar a montar todas as peças no seu lugar e, até agora, tudo tem estado a correr bastante bem.