A 6ª temporada de ‘Game of Thrones’ está a chegar


Falta menos de uma semana para o regresso de Game of Thrones, cuja nova temporada estreia no dia 24 de Abril. Desde cedo que a adaptação televisiva da obra de George R. R. Martin se revelou capaz de gerar entusiasmo no público. No entanto, o aproximar da sexta temporada tem elevado ainda mais a expectativa. Vamos perceber o que se passa.

Não existe um motivo apenas para explicar todo o burburinho, mas antes uma confluência de aspetos desafiantes para a curiosidade do espectador. O primeiro diz respeito à diferença de ritmos entre os livros da saga A Song of Ice and Fire e a série que deles foi adaptada para a televisão, Game of Thrones. Até ao final da quinta temporada, os leitores estavam um passo à frente em relação ao que ia acontecendo na série de televisão. Em alguns elementos continua a ser dessa forma, nomeadamente a propósito de personagens relevantes que ainda não surgiram no ecrã.

Porém, no que respeita às narrativas centrais do mundo de Westeros e Essos, esse cenário vai mudar com o arranque da sexta temporada. Tal não era a intenção inicial de Martin, que tencionava terminar o sexto volume — The Winds of Winter — antes da nova temporada, mas o passar do tempo revelou esse cenário como inevitável. Parte da responsabilidade para o atraso na chegada do livro seguinte ao prelo deve-se ao sucesso de Game of Thrones, que injetou um número interminável de solicitações na vida do autor. Convenções, palestras, entrevistas e sessões de autógrafos já eram familiares para Martin enquanto escritor bem sucedido. Contudo, essa realidade foi grandemente multiplicada com o êxito da série, que transformou o autor norte-americano numa figura pública.

got6chegar_02

Dessa forma, pela primeira vez, todos os seguidores dos jogos de poder em redor do trono de ferro desconhecem o que está para vir. Tanto o mais recente volume quanto o último episódio da quinta temporada terminaram no mesmo exato ponto, com a morte de uma das personagens mais queridas dos fãs. Até aqui não haveria qualquer novidade, pois Martin faz questão de transpor a imprevisibilidade e a crueza da vida para os seus enredos, não poupando qualquer personagem às consequências dos seus próprios erros ou falhas humanas. Recordemos como a honra desmedida custou o pescoço ao chefe da casa Stark no começo da saga.

Porém, a personagem que vemos morrer numa poça do seu próprio sangue derretendo a neve, cena com a qual encerram tanto o quinto livro quanto a quinta temporada, não é uma personagem qualquer. À parte dos livros e da série, existe todo um mundo de discussão e teorização. Fãs espalhados pelo planeta inteiro recolhem as pistas deixadas por George R. R. Martin e debatem possíveis desfechos para a história. Assim, é riquíssimo o leque de teorias e rumores que vão continuamente surgindo online e, de entre todas as propostas, a que tem despertado maior interesse diz respeito à personagem que ninguém quis acreditar quando a lemos ou vimos desfalecer.

got6chegar_03

Essa teoria é conhecida como R + L = J e diz respeito à ascendência da personagem que tudo sugere ter morrido, Jon Snow. Não se trata de uma hipótese simples. Antes pelo contrário, os seus inúmeros elementos e pormenores tornam-na tão complexa quanto interessante. Todavia, vamos tentar resumi-la. A teoria R + L = J sustenta que os verdadeiros pais do bastardo de Winterfell não são Eddard Stark e uma mulher desconhecida, mas antes Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark. O que conhecemos destas duas últimas figuras chega-nos através da memória daqueles que com elas conviveram. Sabemos que Rhaegar era o príncipe herdeiro da anterior dinastia, que foi destronada na Rebelião de Robert Baratheon. Por sua vez, esta revolta teve início quando Rhaegar raptou Lyanna, prometida em casamento a Robert.

Segundo a teoria R + L = J, Lyanna Stark fugiu por sua própria vontade com Rhaegar. Terá sido um ato de paixão e não um rapto. Depois do conflito, no qual Rhaegar é morto por Robert, Eddard vai buscar Lyanna onde o príncipe Targaryen supostamente a tinha aprisionado. Ao chegar, e depois de derrotar aqueles que a guardavam, Eddard Stark depara-se com a irmã num leito de sangue. Antes de morrer, esta pede ao irmão que cumpra uma promessa. Daqui em diante, George R. R. Martin apenas nos conta que o chefe da casa Stark regressou da guerra com uma criança. De acordo com esta leitura, Jon Snow será o filho de Rhaegar e Lyanna, que Eddard fez passar por seu bastardo. Desta forma, salvando-o da fúria de Robert Baratheon, que jurou matar todos os Targaryen.

got6chegar_04

Ao combinamos este ancestral de fogo (Targaryen) e gelo (Stark) somos levados a crer que a história de Jon Snow está ainda longe de encerrada. Sobretudo quando no mesmo espaço físico e temporal, Martin coloca a personagem Melisandre, a sacerdotisa vermelha, entre cujos poderes mágicos associados à cultura da qual é oriunda está o de trazer mortos de regresso à vida. No entanto, por abrangente e consensual que possa ser, esse desfecho continuará a ser uma teoria até que a nova sexta temporada a venha comprovar ou refutar.

Finalmente, o canal de televisão HBO tem sabido manter a expectativa elevada com o lançamento regular de teasers, trailers e clipes que nos vêm aguçar o apetite para a temporada que começará muito em breve. Não só nos prometem composições cinematográficas de encher o olho, como neles se vislumbra ser este o momento definitivo de afirmação das gerações seguintes de Starks, Lannisters e até de dragões. Desde o final da temporada anterior, foram meses de alguma saudade das nossas personagens favoritas e muita reflexão em relação aos destinos do mundo a que pertencem. No que a nós diz respeito, antecipamos uma noite em branco à espera do primeiro episódio da sexta temporada de Game of Thrones.