±MAISMENOS±: memórias de uma visita aos refugiados na Grécia


Miguel Januário, artista português responsável pelo projeto interventivo ±MAISMENOS±, voltou a surpreender o mundo com um vídeo que promete dar a “ganhar 15 minutos de vida.”

As imagens contam as histórias de diferentes vidas num campo de refugiados de Ritsona, na Grécia. Os olhares prevêem tempos difíceis onde a insegurança e o desconforto serão imperativos. (Não fosse o novo acordo entre a Turquia e a União Europeia ditar o envio destes cidadãos de volta ao primeiro país mencionado ou até mesmo à sua terra origem). Inenarrável, diríamos.

Em números, o artista conta que dos 50 mil refugiados na Grécia à procura de asilo na UE, mais de 850 estiveram neste campo e mais de 30% são crianças. Pais, mães, famílias… Alunos de faculdade, pessoas doutoradas. “Um perigo para a Europa”, gritariam muitos.

Juntamente com outros companheiros de viagem, Miguel explica no seu Facebook pessoal que recebeu muito mais do que aquilo que conseguiu dar, embora o sentimento de revolta seja enorme. “Voltamos com um extremo vazio pela incerteza relativamente ao futuro desta gente, pela angústia de saber que não voltaremos a ver muitos deles, pela saudade, pela raiva de assistir ao roubo da sua dignidade, dos seus sonhos, da sua infância, pelo ódio e ganância que estão na origem de tudo isto e pela indiferença dos ‘líderes’ do ocidente que os refugiados apelidam de ‘terra da humanidade’. Pela vergonha de fazermos parte desta Europa”.

Já são muitos os portugueses que se juntaram a iniciativas como esta e sabemos que existem formas de chegar a estas pessoas tal qual como o Miguel fez. (Principalmente no que diz respeito a donativos e envio de produtos alimentares e roupas tal como o artista tão bem partilhou). Dados chocantes do Conselho de Petições da União Europeia revelam uma percentagem muito elevada de crianças sob o número total de refugiados, crianças essas que sofrem atualmente de desnutrição e falta de cuidados básicos de higiene e saúde.