‘Quo Vado?’ encerrou a 9ª edição da Festa do Cinema Italiano em Lisboa


A sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge encheu para a sessão de encerramento da 9ª edição da 8 1/2 Festa do Cinema Italiano. Antes da exibição de Quo vado?, o filme escolhido para encerrar a Festa (em Lisboa, pois o festival viaja agora para outros pontos do país), coube ainda a Stefano Savio, o director da Festa, juntamente com convidados especiais, anunciar o filme Lo Chiamavano Jeeg Robot do realizador Gabriele Mainetti como o grande vencedor dos prémios atribuídos pelo público e júri.

Após a atribuição dos prémios chegou a vez da esperada exibição do sucesso de bilheteira em Itália, Quo vado?, ser exibido. O filme de Genaro Nunziante praticamente triplicou (!) o valor de bilheteira alcançado pelo último capítulo de Star Wars (25 milhões deste último contra 72 milhões do filme italiano). A expectativa era elevada e ninguém terá saído desiludido.

Com o popular actor italiano Checco Zalone no principal papel, numa parceria já longa entre o realizador e actor, Quo vado? é uma comédia hilariante do primeiro ao último minuto.

Em Quo vado? acompanhamos a história de Checco (o personagem tem o mesmo nome do actor que interpreta o papel), um funcionário público que vive – ainda – com os seus pais na pacata vila onde cresceu. A vida perfeita e idealizada já em criança por Checco sofre um revés quando uma reforma do Governo italiano que visa cortar com a excessiva burocracia acaba com o seu emprego.

Num jogo de gato e rato com o Governo, Checco recusa-se a receber uma indemnização e ficar no desemprego pois prefere a segurança de um ordenado fixo e todos os privilégios a que um funcionário público tem direito. Até que conhece a bela Valeria, mulher de causas, que vai abanar o seu mundo.

Será sempre discutível se Quo vado? merece o alarido provocado pelos seus astronómicos resultados de bilheteira em Itália. Uma comédia que não foge aos lugares comuns do género, uma banda sonora escrita por Zalone (tal como o filme, a par do realizador), Quo vado? é um filme feito para fazer rir e cumpre com grande qualidade e eficiência aquilo a que se propõe. Às vezes é só isso que se pede de uma comédia e Quo vado? recorre a um argumento sempre bem disposto, cumpre-o na perfeição, ironizando variadas vezes com os típicos clichés italianos que tanto adoramos. É uma virtude saber rir de si próprio, e o povo italiano demonstrou saber fazer isso mesmo com grande humor (em qualidade e quantidade) à mistura.