Há um novo Wareztuga. Será que vai durar?


mrpiracy novo wareztuga
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Ver filmes e séries de forma fácil e prática é algo que todos nós procuram e que conseguimos quer através do Netflix, quer através dos muitos serviços piratas que existem – o Popcorn Time e o Streamio são apenas dois exemplos. Aqui, por Portugal, que recentemente tem bloqueado inúmeros sites ilegais, também tínhamos um: o Wareztuga, que sem grandes explicações fechou portas no Verão passado.

Não são muito claras as razões que levaram ao fim do Wareztuga pelos próprios autores do projecto. Criado em Setembro de 2011, o Wareztuga sobreviveu ao longo de quatro anos a “ameaças por parte das mais diversas entidades nacionais e internacionais, dificuldades técnicas, encerramento de servidores, bloqueios, eliminação de conteúdos, etc”, como se lia numa nota divulgada na altura.

Coincidência ou não, o desaparecimento do Wareztuga deu-se um mês antes da assinatura de um memorando entre a IGAC, a MAPINET e outras entidades, com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura, que simplifica o bloqueio de sites com conteúdo pirata. Desde Agosto de 2015, mês em que o referido documento foi assinado e posto em prática, que mais de 250 sites já terão tido o seu acesso vedado em Portugal – alguns deles indevidamente.

O Wareztuga permitia o acesso gratuito e ilimitado a inúmeros filmes e séries, dias depois de os mesmos serem disponibilizados nos Estados Unidos. Esses conteúdos estavam disponíveis via streaming, ao estilo do Netflix. O problema: o Wareztuga não detinha direitos para a sua transmissão.

A promessa do Wareztuga não era muito diferente da do MrPiracy, que está a ser apelidado como “o novo Wareztuga”. O design é em tudo semelhante e, à semelhança do seu “antepassado” (se assim lhe podemos chamar), dá acesso a filmes e séries no browser, através do endereço mrpiracy.club. Os conteúdos estão acessíveis via streaming, isto é, não há necessidade de download.

Não são conhecidos os autores do MrPiracy, mas não deverão ter qualquer relação com os do Wareztuga. A página de Facebook do MrPiracy – projecto pirata que, até agora, tem resistido ao bloqueio da IGAC – dá a entender que o mesmo existe desde Novembro de 2015.

Será que vai durar?

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!