Barack Obama é o primeiro presidente dos EUA a visitar Hiroshima


É uma visita inédita de um presidente dos Estados Unidos em exercício: Barack Obama vai a Hiroshima.

A viagem está agendada para 27 de Maio depois do presidente dos EUA participar na cimeira do G7 deste ano no Japão.

Depois da visita a Cuba, Obama quebra outro tabu e escreve assim o segundo capítulo do livro das viagens históricas em fim de mandato.

Para se perceber o simbolismo desta visita importa sublinhar que mais de 150 mil pessoas morreram depois de um bombardeamento do exército norte-americano à cidade a 6 de Agosto de 1945. Hiroshima foi a primeira cidade do mundo a ser devastada por uma bomba atómica.

Apesar do carácter histórico que tem vindo a ser exaltado desde que o executivo dos EUA anunciou a viagem, a Casa Branca apressou-se a deixar claro que Obama não vai apresentar nenhum pedido de desculpas.

O vice-conselheiro de segurança do Presidente escreveu num artigo no Medium onde afirma que a deslocação não vai servir para que Obama reveja a decisão dos Estados Unidos em usar a bomba atómica no final de Segunda Guerra Mundial. Servirá sim para prestar homenagem àqueles que perderam a vida durante os confrontos e para estreitar as relações entre os dois países que já foram inimigos e são agora aliados próximos.

Importa relembrar que um dos motivos pelos quais Obama foi agraciado com o Prémio Nobel da Paz em 2009 foi por ter no topo da sua agenda o combate à proliferação nuclear.

Obama visitará o local na companhia do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que já veio dizer que espera que a presença de Obama transmita uma forte mensagem contra as armas nucleares por todo o mundo.

A visita integra-se numa viagem pela Ásia que decorre entre 21 e 28 de maio e que pela primeira vez inclui o Vietname, levando-nos a acreditar que Obama está a deixar o melhor para o fim do seu mandato.