Campanha usa a censura do Instagram para alertar para o cancro da mama


Os mais audazes, ou melhor, as mais audazes não podem tirar fotografias dos seus seios e expô-las no Instagram. A rede social não permite a partilha de mamilos femininos e apaga todos os posts com esse tipo de ousadia. Mas se a decência foi tida como o objetivo principal da decisão, a possibilidade de as redes sociais ajudarem a prevenir o cancro da mama deu um passo atrás. Será? Censorship for Cancer faz uso da censura do Instagram ajudando e alertando as mulheres de todo o mundo de que devem estar atentas a esta doença. E os emojis vão ajudar.

A Fundação ANT, em Itália, que se dedica a acompanhar doentes com cancro, lançou esta campanha inovadora que já percorre todos os cantos do mundo. A prática é simples, virtual e altruísta. Através de uma página do Instagram, intitulada “Censorship for Cancer”, todas as dicas para aderir a este movimento são esclarecidas: o público feminino tira uma foto dos seus seios, esconde os mamilos com emojis simbolizados pela figura de uma mão e a hashtag #touchhthem.

O movimento encontra-se dentro das “regras” de decência do Instagram e faz a ponte para a problemática do cancro da mama. Além disso, mais do que uma experiência visual ou algo simbólico, “Censorship for Cancer” tem também um site onde é explicado as práticas que as mulheres devem ter para prevenir o cancro da mama. Desde a examinação pessoal até à galeria de imagens de algumas pessoas que já participaram, a campanha torna a ousadia num serviço público a todas as mulheres.

censorshipforcancer_02