Investigadores desenvolvem madeira transparente


Investigadores da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos da América, desenvolveram um método para produzir madeira transparente que poderá substituir o vidro e plástico na construção, por exemplo, de edifícios ou de dispositivos optoelectrónicos.

Esta madeira transparente tem origem na madeira que todos nós conhecemos e é conseguida através da remoção das moléculas que dão a cor e a rigidez à madeira – a lignina –  num processo semelhante ao usado na produção de papel. Após a remoção desta molécula, a estrutura da celulose da madeira, que é incolor, é preenchida com resina epóxi, um polímero transparente que lhe dá rigidez, permitindo assim criar um bloco de madeira transparente e rígido.

Com a crescente procura de novos materiais sustentáveis e amigos do ambiente, esta versão melhorada da madeira é assim um óptimo candidato a este tipo de materiais, já que poderá substituir materiais mais prejudiciais ao ambiente, como é o caso dos plásticos. Mais ainda, uma vez que a madeira é naturalmente um bom isolante térmico, a sua versão transparente poderá, por exemplo, substituir as janelas de vidro em edifícios, o que permitirá manter temperaturas amenas no interior durante todo o ano, sem recurso a aquecimento ou ar condicionados.

article9672.large

Esta investigação, publicada no início de Maio na Advanced Materials, vem complementar os resultados dos investigadores do Instituto Real de Tecnologia, na Suécia, que lançaram em Março deste ano um estudo onde também produzem madeira transparente.

Para além de uma provável revolução no mundo da arquitectura e construção, a madeira transparente poderá também ser aplicada em células solares e outros sistemas optoelectrónicos. E como a madeira tem uma indústria de produção já bastante desenvolvida, esta nova área de investigação irá certamente desenvolver-se rapidamente.