Mais 3 confirmações para o Milhões de Festa 2016


O Milhões de Festa acrescenta mais uma onda de confirmações ao cartaz de 2016. São três confirmações que têm marcado presença nos mais variados palcos, nos mais variados cantos do planeta: o excêntrico Dan Deacon, a arrebatadora Nídia Minaj e os poderosos 10 000 Russos.

O nome de Dan Deacon já não será, certamente, desconhecido em solos portugueses. Tendo estado em Portugal no início deste ano, no paraíso insular que é a ilha de São Miguel (Tremor #3), a electrónica de Dan Deacon tem tanto de êxtase como de caos, misturando-a com LSD e empurrando-a até à estratosfera de qualquer festa.

Nídia Minaj também não precisará de apresentações. Com o cunho da Príncipe Discos, Minaj tem como dote natural começar festas completamente descontroladas, com a sua fusão de house, techno e de kuduro, fazendo chegar até nós uma combustão desgovernada de alegria electrónica.

Outro furacão, também sob a chancela “o que é nacional é bom”, são os 10 000 Russos, peritos em corporificar planos mentais inferiores ao consciente com o seu psicadelismo diabólico e em mantra.

O Milhões de Festa regressa ao Parque Fluvial de Barcelos nos dias 21, 22, 23 e 24 de Julho e os bilhetes já se encontram à venda por 50 euros nos locais habituais, estando também e já disponível o pack com alojamento da Get a Fest. A partir de 10 de Maio, os preços dos ingressos gerais sobem para as 55 euros.

Dan Deacon

Deixando a consciência de lado e, provavelmente, fora do corpo humano, Dan Deacon é o pastor mais convincente de que há registo na história dos performers, incorporando os vários corpos que o rodeiam na sua rotina de caos matematizado e elevando a electrónica com que experimenta ao êxtase em esteróides ou, quem sabe, LSD. É fechar os olhos e sentir a felicidade — sensação que, em Barcelos, será apresentada num concentrado de Deacon, que se apresentará a solo, como nos bons velhos tempos.

Nídia Minaj

Não se pode resumir Nídia Minaj ao house, ao techno, ao kuduro, aos compassos trenários, nem aos contratempos medonhos que nos quebram as pernas, mas exaltam a languidez. Nídia Minaj, uma das mais aventureiras exploradoras do novo mundo da electrónica que se está a desenvolver nos subúrbios de Lisboa, existe na tensão de tudo isso, misturando, desmisturando e criando uma sonoridade que só a ela lhe pertence, sempre com o ritmo louco do kuduro, com o negrume grave do techno e a alegria melódica do house. É festa e vem com o cunho de qualidade da Príncipe Discos, realeza da rua e dos clubes de dança.

10 000 Russos

Não sendo cantores gregos nem mesmo da terra dos czares, os 10 000 Russos são uma força da natureza alavancada por três homens que brincam com o psicadélico e lhe dão uma rotina diabólica e negra, um reflexo do local onde gravaram o seu último disco: num centro comercial dos anos 80 completamente abandonado. Filhos da mesma mãe que os Goat, a Fuzz Club Records, os 10 000 Russos são os verdadeiros peritos em materializar o subconsciente e trazê-lo até à superfície durante uns bons minutos, deixando-nos colados ao chão de onde a consciência se ergue.