Milhões de Festa 2016: há mais 5 adições ao cartaz


Passada a marca de “dois meses para o Milhões de Festa”, Ho99o9, Marshstepper + HHY, Eat the Turnbuckle, Cheryl e MADA TREKU juntam-se agora ao cartaz do festival Barcelense, que já conta com nomes como Goat, The Bug, Dan Deacon, El Guincho e Sun Araw. Acontece tudo entre 21 e 24 de Julho no Parque Fluvial da cidade Minhota.

Dos Estados Unidos, e numa fornada intensa, vêm os Ho99o9, os Eat the Turnbuckle, o colectivo Cheryl e os Marshstepper, que se apresentarão em Barcelos numa colaboração com o portuense HHY. Sobre os primeiros, muito se poderá discorrer, mas poucos momentos serão tão definidores do que fazem quanto o concerto que os traz em estreia a Portugal — são o cruzamento orgânico e mutante da urgência do hardcore com algumas tendências mais negras do hip-hop, numa explosão extasiante e física ao vivo.

Os Eat the Turnbuckle, pelo seu lado, gostam de wrestling, por isso fizeram uma banda sobre isso, com a dose certa de violência no som. Falando em confrontos, os colectivos Ascetic House e SOOPA encontram-se no Milhões de Festa sob forma de Marshstepper + HHY, em que as linguagens harsh noise e techno dos americanos serão metodicamente processados pelos métodos dub de Jonathan Saldanha. A fechar o role de confirmações estão os Cheryl, um colectivo artístico dedicado à arte de fazer um enorme regabofe com confétis, música, mais confétis e muita cor, e MADA TREKU, o novo projecto de electrónica a vir com selo de qualidade Favela Discos, ideal para convulsões na pista de dança.

Começa já na quinta-feira, em Lisboa, a série de eventos Isto Não É O Milhões de Festa, que levará o “triângulo” de sul a norte do país, com uma invasão a Espanha via Galiza. Assim, o primeiro Isto Não É O Milhões de Festa acontece sob a chancela Mundo Quesadilla #12 no DAMAS, na capital, e contará com actuações dos Orchestra of Spheres e da nave portuguesa com mais anos-luz no motor 10 000 Russos. No Domingo, em modo matiné, Equations, Vive Les Cônes e Galo Cant’às Duas serão mestres de cerimónia no Aqui Base Tango, em Coimbra.

O Milhões de Festa regressa ao Parque Fluvial de Barcelos nos dias 21, 22, 23 e 24 de Julho e os bilhetes já se encontram à venda por 55 euros. A partir de 18 de Julho, os preços dos ingressos gerais fixam-se nos 60 euros.

Ho99o9

Quando a tez limita o som, sabemos que o preconceito pesa nas ideias — não é esse o caso dos Ho99o9, que cruzam duas linguagens livres de cores e merdas, num regurgitar de hardcore feito em pc, e hip hop com d­beat. O trio norte-­americano desdobra­-se em grooves medonhos e descargas de décibeis volumosos, num concerto de pirómanos que combate ódio com mais ódio.

Marshstepper + HHY

A manipulação de frequências como meio para chegar à psique humana não é uma ideia estranha à performance dos Marshstepper, nem à de HHY — os primeiros através da performance chocante, gerando um conflito sensorial entre olhar e audição, e o segundo actuando com a reverberação craniana para dar forma sonora ao que sente, perfurando a derme com estímulos modulados e cadências infecciosas. A veia performativa dos Marshstepper será repetida em solene método dub por Jonathan Saldanha, numa apresentação que oporá a actuação desconcertante da Ascectic House à ressonância paranormal da Soopa.

Eat The Turnbuckle

Muitos metaleiros falam de ser violentos, mas poucos compensam ao nível da execução — não, não estamos a falar de soar violentos, mas de arrear no próximo. Tudo em Eat The Turnbuckle é sobre arrear no próximo, desde as letras, ao seu death metal a fugir com o groove para o hardcore, à sua indumentária, e a probabilidade de levarem uma galheta destes paquidermes oleosos é elevada. Mas lembrem-­se, no Wrestling só se aleija quem quer (e quem acha que uma cadeirada na ventas não dói assim tanto).

Cheryl

Prova viva de que vivemos num Mundo cada vez mais colorido, o colectivo Cheryl é um grupo de quatro amantes semi­-anónimos de glitter, gatos e da cultura drag, responsável por vídeos artísticos, instalações em museus e as festas mais abrasivas de que há memória na Grande Maçã. Cheryl não é uma performance, uma banda ou algo que se vive apenas uma vez. Cheryl é uma opção de vida.

Mada Treku

Da idioscópica Favela Discos, MADA TREKU é o alter­-ego do produtor portuense Nuno Loureiro, autor de um techno que existe entre o agressivo e o pervertido. “Learning Exercises on How To Move On”, o primogénito editado recentemente, não é apenas um trabalho hipnótico e acrecivo. É também prova de que o que se faz na cena portuense tem tanto de convencional como de devasso.