Spotify agarra-se ao vídeo com a produção de 12 séries originais


Vão ser ao todo 12 as séries originais que o Spotify vai criar para lançar na sua plataforma. São séries em vídeo, um formato que a app já distribui nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Suécia.

Quando o Spotify se meteu no vídeo há sensivelmente um ano, muitos estranharam a aposta: afinal, o Spotify foi desde o início um serviço de streaming de música. Com este anúncio, as intenções da empresa ficam mais claras: não é apenas sobre vídeos, mas sim sobre ter conteúdo original, rivalizando com as mesmas promessas feitas por serviços concorrentes, entretanto lançados, como Apple Music e Tidal.

Serão 12 as webséries criadas com o selo Spotify. Serão todas relacionadas com música e cultura pop, dois territórios bem palpados pela marca, como noticia a Bloomberg. Landmark vai ser uma série documental em que cada episódio conta uma história de um momento significativo. Até ao momento, estão gravados dois episódios – um sobre o álbum Pet Sounds dos Beach Boys e outro sobre os Metallica. Por seu lado, Rush Hour será assinada por Russell Simmons, co-fundador da Def Jam Record, e levará dois artistas de hip hop para uma localização secreta para conceber uma colaboração musical que devem interpretar para um público.

As futuras produções seguirão a mesma regra dos vídeos já exibidos na app: não mais de 15 minutos de duração. Mais tarde, o Spotify planeia fazer também conteúdos de comédia e animação. Drawn & Recorded, por exemplo, será uma série animada em que em cada episódio se foca num artista ou num momento na história. T-Bone Burnett será o narrador.