A Apple prevê produzir tanta energia limpa que criou uma nova empresa para vendê-la


A Apple criou uma subsidiária para vender a electricidade produzida em excesso nas suas quintas solares em Cupertino e Nevada. Através da empresa Apple Energy LLC, a gigante da maçã planeia vender essa energia no mercado norte-americano, como conta o site 9to5mac.

A preocupação da Apple com o ambiente não é nova. A empresa usa energia limpa para equipar os seus centros de dados, lojas físicas, escritórios e serviços online. Para garantir que as suas quintas solares cobrem a totalidade das suas necessidades, a Apple tem inevitavelmente de produzir energia em excesso durante as horas de maior exposição solar.

Só assim consegue salvaguardar as alturas de menor exposição, como o final do dia ou um dia de céu nublado, e garantir electricidade limpa para as Apple Stores se manterem à noite e os data centers funcionarem 24/7. Para além de energia solar, a Apple investe noutro tipo de soluções renováveis, como a hidroelectricidade, o biogás e a energia geotermal.

O futuro campus da Apple terá o gigante telhado coberto de painéis solares e será 100% alimentado por energia limpa. Entretanto, em Singapura, a empresa da maçã trabalhou com uma empresa energética local para usar mais de 800 telhados da cidade para produzir cerca de 32 megawatts de energia solar.

A Apple pretende vender os seus excedentes energéticos a consumidores finais, a preços de mercado, o que também pode ajudar a empresa recuperar os custos. Ao regulador norte-americano, a Apple disse cumprir os critérios legais para a venda de energia eléctrica a taxas de mercado, porque não é um player importante no negócio de energia e, portanto, não tem poder para influenciar os preços da electricidade.