Microsoft vai comprar o LinkedIn por 26,2 mil milhões de dólares


A Microsoft prepara-se para comprar o LinkedIn numa transacção avaliada em 26,2 mil milhões de dólares. Com este negócio, que deverá ficar concluído este ano, a maior rede profissional do mundo passa para as mãos da empresa do Windows. A Microsoft vai pagar 196 dólares por cada acção do LinkedIn, segundo o anúncio feio esta segunda-feira.

A compra do LinkedIn pela Microsoft é uma verdadeira surpresa, ninguém esperava que acontecesse. O LinkedIn vai preservar a sua marca, cultura e independência. O CEO da empresa, Jeff Weiner, permanecerá no cargo e reportará directamente a Satya Nadella, o patrão da Microsoft.

O LinkedIn é a maior rede profissional do mundo, que ao longo dos últimos meses tem apresentado alterações substanciais ao seu produto, de forma a torná-lo mais competitivo. Para além de uma interface redesenhada, o LinkedIn renovou o serviço de mensagens privadas, lançou novas apps para telemóveis e melhorou o newsfeed, onde os utilizadores podem saber o que se passa no seu círculo profissional. Estas e outras novidades têm ajudado o LinkedIn a reforçar a sua base de utilizadores, as interacções entre eles e também os resultados financeiros da empresa. Com mais de 433 milhões de utilizadores em todo o mundo, o LinkedIn é maior que o Twitter.

microsoftlinkedin_02

Por seu lado, a Microsoft é dona do Windows, o sistema operativo mais usado no mundo empresarial, e da suite Office, popular por apps como o Word, Excel ou PowerPoint. A Microsoft é dona também do OneDrive e do Outlook, tendo versões destas apps especialmente desenhadas para o ambiente profissional. Nos últimos meses, a empresa tem comprado várias apps de produtividade, como o Wunderlist, o Sunrise e o teclado SwiftKey.

O casamento entre a Microsoft e o LinkedIn faz sentido e tem tudo para dar certo. O negócio deverá ficar concluído no calendário deste ano, estando sujeito à aprovação pelos shareholders do LinkedIn. Todavia, já conta com a luz verde da administração das duas empresas.