Rir da miséria dos outros: uma ode ao fair-play inglês no Euro 2016


O futebol não tem de ser o motivo mas é certamente o contexto. Nos últimos dias temos assistido a uma Europa cada vez mais pobre, intolerante e triste. Depois dos confrontos entre adeptos ingleses e russos no Campeonato Europeu a decorrer em França, os fanáticos britânicos voltaram a ser notícia ao comportarem-se de forma cruel para com menores nas ruas de Lille.

Tudo indica que os mesmos terão atirado moedas às crianças – com menos de 10 anos de idade e que serão provavelmente refugiadas sírias ou árabes franceses – com o objectivo de as verem a lutar por dinheiro. As imagens têm chocado o mundo mas até ao momento não se conhecem medidas aplicadas aos responsáveis pela situação. O vídeo foi partilhado por Max Allanazarov, correspondente da agência noticiosa TASS.

Contudo, a UEFA começa a colocar em causa a permanência de Inglaterra e Rússia no Euro 2016 se os ânimos continuarem exaltados. Trata-se de uma questão de segurança pública e de um atentado contra os valores que a organização futebolística defende.

No entretanto, o capitão da equipa inglesa Wayne Rooney e o treinador Roy Hodgson já apelaram aos seus adeptos para que a energia seja focada na motivação e não em problemas causados nas ruas. “Queremos desesperadamente ficar na competição pelo que não podemos ter sanções vindas de manifestações dos nossos adeptos”, dizem. “Todo o apoio importa mas com segurança.”

Incertezas à parte, a taça de melhor fair-play já não será com certeza vossa, caros adeptos ingleses.

Perdão, Hooligans.