Trabalhar em França significa ignorar o e-mail ao fim-de-semana


Está a ser uma semana de protestos e greves em França devido ao projeto da nova lei do trabalho. Os sindicatos e o Governo francês entraram em choque, depois do anúncio de algumas medidas que podem tornar as leis do trabalho ainda mais rigorosas e apertadas, como o aumento do número de horas semanais e o despedimento por justa causa face a factores económicos.

Em contracorrente, surge outra proposta de lei que promete deixar os franceses mais felizes e menos stressados: os empregadores não podem enviar email depois do horário laboral.

Depois da publicação de alguns estudos que mostram que os trabalhadores não se conseguem desligar do trabalho, especialmente quando invadidos pela era digital dos alertas e dos pop-ups nos smartphones, França dá um passo para descomplicar a situação. As empresas com mais de 50 trabalhadores terão de ter em conta esta nova conduta e esforçar-se para que o trabalho não constitua um problema adicional na vida privada dos empregados.

Ainda não são conhecidas as consequências caso uma empresa não cumpra com lei, porém contrariamente à maioria das leis anunciadas, esta parece reunir consenso entre os trabalhadores.