Turquia bloqueia Wikileaks devido à divulgação de 300 mil e-mails do partido de Erdogan


A partir de ontem, o portal Wikileaks está bloqueado e inacessível na Turquia. Esta tomada de posição por parte das autoridades do país deve-se à exposição de sensivelmente 300 mil e-mails referentes ao partido do Presidente Erdogan.

Segundo o site, a correspondência electrónica corresponde a um intervalo temporal de 6 anos, de 2010 a 2016. Esta divulgação não tem correlação com a tentativa de golpe de Estado da semana passada, e portanto não tem na facção “golpista”a fonte de informação. A organização resolveu soltar agora este bloco de informação de modo a responder à purga que o presidente turco e a sua equipa têm levado cabo no país.

wikileaksturquia_02

Esta decisão administrativa, palavras do executivo turco, faz parte de um conjunto de medidas onde se poderá inclui a re-adopção da pena de morte.