Os atletas dos Olímpicos podem fumar erva? Sim, desde que…


atletas podem fumar erva
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Jogos Olímpicos de 1998. Um snowboarder canadiano, Ross Rebagliati, ganhou uma medalha de ouro, mas os testes da Agência Mundial Antidoping (AMA) detectaram a presença de marijuana (THC) no seu organismo, levando à suspensão do título. A AMA depressa constatou que a droga não estava na lista de substâncias proibidas e a medalha foi restituída a Rebagliati.

Casos de uso de cannabis por parte de atletas olímpicos repetiram-se nos anos seguintes. Um dos mais conhecidos é o de Michael Phelps que, três meses depois dos Jogos Olímpicos de 2008, onde conquistou oito medalhas de ouro, foi apanhado a fumar erva num bongo na Universidade de Carolina do Sul. A foto, publicada pelo tabloide britânico News of the World no início de 2009, resultou na suspensão do nadador norte-americano, de 23 anos, das competições nacionais e internacionais. Phelps perdeu ainda o lucrativo patrocínio da Kellogg’s.

A par de outras drogas, a cannabis é proibida pela AMA e os atletas olímpicos que apresentarem sinais do seu consumo estarão em sarilhos. Contudo, isso não quer dizer que não possam, de todo, fumar erva. Podem, desde que o façam antes dos Jogos. Isto porque, em 2013, a AMA passou a considerar positivos unicamente os testes de THC que resultem num mínimo de 150 ng/mL. Até à data, o limiar era de 15 ng/mL.

Com esta alteração, o comité olímpico e a AMA querem garantir que os atletas não consumem marijuana nos dias dos Jogos ou nas semanas antes, sem os proibir de o fazer meses antes (desde que não sejam “heavy smokers”, claro). A cannabis pode, inclusive, ter propriedades benéficas como amplificar a resistência, reduzir inflamações e aumentar a circulação do ar para os pulmões.

Michael Phelps não é o único atleta – olímpico ou não – a gostar de “fumar a sua”. O nadador está a participar nestes Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro – onde, aliás, já ganhou uma medalha de ouro nos 4×100 metros livres masculino. Já Ross Rebagliati, que em 1998 tinha 17.8 ng/mL de THC no sangue, lançou uma marca de cannabis medicinal chamada Ross’ Gold.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!