Energia Solar: uma nova Era para Chernobyl


 
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Um grupo de ministros ucranianos está a divulgar uma apresentação aos maiores bancos europeus e do país para demonstrar como a orla do território contaminado pelo desastre de Chernobyl pode ser um dos maiores pontos de produção de energia solar, de acordo com o Governo.

Na apresentação, a que o jornal britânico The Guardian teve acesso, cerca de seis mil hectares da zona perigosa, onde não se deve viver nem cultivar, pode ganhar nova utilidade com a produção de biogás e colocação de painéis fotovoltaicos e foto térmicos.

A vantagem económica vem do facto de a terra ser barata por causa do desastre de Chernobyl há 30 anos, com uma exposição solar semelhante à do sul da Alemanha. Além disso, no geral, as infraestruturas eléctricas necessárias já se encontram parcialmente no local e em condições de serem usadas.

O Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento já declarou que estaria eventualmente preparado para emprestar o dinheiro para o plano de produção de energias renováveis, da mesma maneira que já providenciou os fundos (500 mil dólares norte-americanos) para o “sarcófago” do reactor, que vai continuar a ser um perigo durante milhares de anos.

Em comunicado, o Banco afirma estar disposto a participar no projecto desde que “as propostas sejam viáveis” e que os riscos ambientais e de saúde tenham soluções satisfatórias.

De acordo com a própria apresentação, tem havido pressão para reavivar a zona com desenvolvimento industrial, mas sem indicação clara de onde seriam colocados os painéis, apesar de ser garantido que a mesma cumprirá, quando criada, com todas as regras e leis para a protecção contra a radiação.

O Ministro da Ecologia ucraniano disse também numa entrevista ao The Independent que estavam em curso negociações com empresas dos Estados Unidos e Canadá, interessadas no potencial de Chernobyl para a energia solar.

O governo ucraniano defende que mais de 1000W de energia solar e mais 400MW de outras energias renováveis podem ser geradas. A instalação nuclear que deu origem ao desastre tinha a capacidade de cerca de 4000MW. Permanece a dúvida se será ou não seguro construir um parque solar numa zona cuja visita ainda representa algum perigo. Ainda assim, caso o projecto avance, esta nova “fábrica” será mais eficaz do que qualquer outro parque solar do mundo.

Quando o desastre de Chernobyl aconteceu, dezenas de milhares de pessoas foram retiradas da Ucrânia, Bielorrússia e sul da Rússia.

A 20km de Chernobyl, no território da Bielorrússia, já está em construção um projecto semelhante, no distrito de Barhim, um dos locais mais contaminados deste território.

Texto de: Diana Tavares
Editado por: Rita Pinto

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.