A mensagem errada da Vogue Brasil na campanha para os Jogos Paralímpicos do Rio 2016


 
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

As capas de revista são sempre tema de conversa nas semanas que seguem. Não é preciso grande esforço para nos lembrarmos de duas ou três que alteraram a forma como vemos o mundo ou determinado fenómeno.

Desta vez, foi uma campanha da Vogue Brasil a saltar para o centro das atenções mas não pelos melhores motivos. Tudo começou com o que podia ser uma boa ideia, executada de uma forma reveladora de um preconceito inesperado. A campanha pretende chamar a atenção para os Jogos Paralímpicos do Rio 2016 através do mote “Somos Todos Paralímpicos”. O problema é que a revista achou que a melhor forma de o fazer era usando dois actores brasileiros conhecidos do público, sãos, e alterar digitalmente a imagem deles, “amputando-os”, em vez de usar atletas paralímpicos para ilustrar uma realidade que é sua.

rio-paralympics-vogue-2

A campanha tem gerado muita controvérsia no Brasil e no mundo. Muitas pessoas acusam a Vogue de preconceito e de reforçar que a deficiência e a beleza não são conceitos compatíveis. Há ainda quem diga que a escolha de usar actores/modelos mostra como a sociedade ainda não percebe a realidade das pessoas com deficiência.

A fotografia dos actores Cleo Pires e Paulinho Vilhena – embaixadores dos Jogos – foi alterada digitalmente para replicar as deficiências motoras da atleta de Ténis de Mesa Bruna Alexandre e do jogador de Voleibol Renato Leite. O braço de Bruna foi amputado aos 3 anos, enquanto Renato tem uma prótese na perna direita.

A Vogue Brasil acabou por emitir um comunicado em resposta à polémica: “Essa  não é uma campanha da Vogue. A campanha foi concebida pelos atores Cleo Pires, Paulo Vilhena (embaixadores dos jogos) e pela Agência África. Vogue, juntamente com a Edições Globo Condé Nast, apenas apoia a iniciativa assim como apoia qualquer iniciativa que estimule o comparecimento aos jogos.  “Vogue respeita a opinião dos leitores que discordaram do formato da campanha, mas reitera seu compromisso em divulgar a importância da Paralimpíada. Continuaremos a apoiar todas as iniciativas do comitê paralímpico que estimulem o comparecimento aos jogos”.

Também a mesa-tenista Bruna Alexandre quis esclarecer que não se sentiu desrespeitada pela campanha, mas sim orgulhosa por ser representada desta forma.

Pessoal, Venho esclarecer que estou super orgulhosa de fazer parte desta campanha que a revista #Vogue começou a divulgar as primeiras imagens desse lindo trabalho. Nossos Embaixadores Paralímpicos Cleo Pires e Paulo Vilhena, nos ajudaram a intensificar e a propagar a campanha com intuito de gerar visibilidade ao Movimento Paralímpico e convocar a torcida brasileira para marcar presença nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Gostaria, de enfatizar que #SomosTodosIguais e por isso a Cleo Pires me representa. Nos próximos dias, vocês terão acesso completo da campanha. #VemComAGenteBrasil e espero contar com toda a torcida brasileira nas arenas é assim torcendo, vibrando, cantando e comemorando conosco! #CarregoNoPeito o #CoraçãoParalímpico. @cleopires_oficial @vilhenap @ocpboficial

Uma foto publicada por Bruninha Alexandre (@bruninha_alexandre) a

Bruna Alexandre aproveita ainda para convidar toda a gente a torcer pelos atletas paralímpicos nos Jogos que se realizam de 7 a 18 de Setembro. É que, até agora, só se venderam 20% dos bilhetes.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.