Microsoft, Apple, Facebook e outras empresas vão pagar o mesmo salário a homens e mulheres


29 grandes empresas americanas corresponderam à iniciativa de Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, e irão ajustar os salários dos funcionários com vista a reduzir a diferença existente entre o rendimento auferido por mulheres e por homens.

Numa mensagem publicada no blogue da Casa Branca, Cecília Munoz, directora de política interna da Casa Branca, anunciou no dia da igualdade dos direitos das mulheres que, empresas como a Microsoft, Apple e Facebook se juntam às 28 empresas que inicialmente tinham aderido ao projecto. No quadro das multinacionais que se comprometem a combater a desigualdade salarial, figuram agora também a Coca-Cola, Nike, General Motors, Visa, IBM ou a rede social LinkedIn. De referir que empresas como o Spotify, Airbnb ou Deloitte já estavam na lista de empresas comprometidas.

Cecília Munoz afirmou ainda no comunicado que por cada dólar auferido por um homem, uma mulher apenas recebe 79 cêntimos. Se se der o caso da mulher ser afro-americana este número diminui para 64 cêntimos, se estivermos a falar de uma mulher nativo-americana o rendimento decresce para 59 cêntimos. Relativamente a uma mulher latina, a diferença pode cifrar-se em 54 cêntimos recebidos.

Ao todo, são mais de 50 empresas que estabelecem este compromisso com a Casa Branca. As casas não se constroem pelo telhado, e os alicerces parecem estar a ser modelados. Trabalho igual, pagamento igual terá necessariamente de ser o mote em qualquer país do mundo.