WhatsApp vai partilhar dados com o Facebook – mas só se tu quiseres


O WhatsApp anunciou hoje que vai partilhar com o Facebook o número de telefone dos seus utilizadores, assim como informação sobre a frequência de uso da aplicação de mensagens. Contudo, os utilizadores poderão rejeitar essa partilha de dados.

whatsappfacebook_02

Detido pelo Facebook desde 2014, o WhatsApp anunciou a mudança nos termos de uso e política de privacidade, que passa a contemplar a troca de informação entre o serviço de mensagens e a rede social. O objectivo é o Facebook ter mais dados sobre os seus utilizadores para que lhes possa mostrar melhores anúncios.

Ajudar o Facebook a fazer mais dinheiro

Todo o negócio do Facebook gira em volta da publicidade. O Facebook tem um perfil detalhado de cada um dos seus utilizadores, com informações que recolhe não só na rede social, como também no Messenger, no Instagram e noutros serviços. A empresa de Mark Zuckerberg sabe aquilo de que gostamos, as pessoas com quem falamos e as fotos que partilhamos. Estes dados todos são valiosíssimos para os anunciantes fazerem chegar as suas mensagens à audiência certa. É através da venda de publicidade super segmentada que o Facebook faz dinheiro, conseguindo manter a sua plataforma gratuita para os utilizadores.

Para que o perfil que o Facebook tem dos utilizadores seja o mais completo possível, existe uma partilha de informações entre as várias aplicações e serviços. O WhatsApp não fazia parte desta “festa”.

“Como uma empresa subsidiária do Facebook, nos próximos meses iremos começar a partilhar informação que nos permita coordenar melhor e com isso melhorar a experiência entre os serviços. Esta é uma prática típica entre as empresas que são adquiridas por outras”, refere o WhatsApp em comunicado. Com esta mudança de política, a rede social passa a ter acesso ao número de telefone de cada utilizador para verificar a sua conta de WhatsApp, assim como os dados sobre a frequência de utilização da aplicação, entre eles, a última hora de conexão.

De acordo com a empresa, a partilha desta informação também vai permitir dar aos utilizadores sugestões para estabelecer ligações com outras pessoas conhecidas e combater os abusos e mensagens não desejadas no WhatsApp. A aplicação de mensagens reconhece que outras empresas subsidiárias do Facebook, como o Instagram, podem usar a informação do WhatsApp para “actividades diversas”, como sugerir contas a seguir.

Utilizadores podem dizer que “não”

Os utilizadores do serviço de mensagens podem recusar que os seus dados sejam utilizados para “melhorar experiências relativas a anúncios e produtos”, mas não que o Facebook conheça o número de telefone e os seus padrões de actividade no WhatsApp. As mensagens e outras comunicações trocadas na aplicação vão continuar privadas e encriptadas.

Para que o teus dados do WhatsApp não sejam partilhados com o Facebook, terás de ir às definições da aplicação de mensagens e desactivar a respectiva opção.

whatsappfacebook_03

“De momento, não temos planos de partilhar com o Facebook outra informação opcional”, como o estado, nome e foto do perfil do utilizador, e “muito menos guardamos as mensagens assim que são entregues”, salienta a empresa, que insiste que, apesar da partilha de dados, vai continuar a funcionar “como um serviço independente”.

Os clientes do WhatsApp vão receber a partir de hoje uma notificação com os novos termos de privacidade, momento a partir do qual dispõem de 30 dias para aceitar caso pretendam continuar a utilizar a aplicação. Esta é a primeira mudança de política de privacidade em quatro anos e, segundo o serviço WhatsApp, estas alterações resultam dos seus planos de alternativas de comunicação entre utilizadores e empresas nos próximos meses.