Microsoft vai fechar o escritório do Skype na cidade onde este nasceu


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

A Microsoft vai fechar o escritório do Skype em Londres, uma medida que deverá afectar dezenas de funcionários da empresa (cerca de 400). Ao Financial Times, a Microsoft explica que quer “unificar alguns cargos de engenharia” e refere que “vai entrar num processo de consulta para ajudar os afectados pelos despedimentos”.

Londres foi a cidade onde o Skype nasceu e onde manteve a sua principal equipa de desenvolvimento antes de ter sido adquirido, em 2011, pela Microsoft por 8,5 mil milhões de dólares. Antes, em 2005, a empresa já tinha sido comprada pelo eBay e “sobreviveu” a situação no Reino Unido.

A saída do Skype de Londres não só representa uma perda gigante para o ecossistema tecnológico da cidade, como o fim de um ciclo. Desenvolvendo o Skype a partir da sua sede na Califórnia, a Microsoft conseguirá não só reduzir custos como manter centralizado um serviço fundamental na sua estratégia.

Ao longo dos últimos anos, a empresa tem feito um trabalho muito importante com o Skype, não só integrando-o não com a suite de produtividade Office 365 como também adicionando outras funcionalidades empresariais, de forma a aproximar a aplicação do concorrente Slack.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.