O “Uber” da Google chegou aos EUA. Chama-se Waze Rider


Provavelmente conheces a Waze e se calhar até utilizas esta aplicação no teu dia-a-dia de casa-trabalho. A Waze indica as ruas que deves tomar se queres fugir ao trânsito e, graças à sua comunidade de utilizadores, avisa se existirem operações STOP, radares ou bloqueios na estrada no trajecto.

A aplicação foi desenvolvida em Israel e comprada pela Google em 2013, quando tinha cerca de 50 milhões de utilizadores. Hoje, a Waze ganha uma importante novidade: o serviço vai deixar de apenas te dizer como chegar ao trabalho, vai levar-te ao trabalho. Se viveres em São Francisco, já podes usar o Waze Rider (antigo Ride With) para apanhar boleias para qualquer que seja o teu destino.

wazerider_02

O Waze Rider permite que duas pessoas partilhem uma viagem se forem para o mesmo destino, repartindo os custos entre si e poupando o ambiente (menos um carro na estrada, logo menos poluição). A Uber tem uma oferta semelhante à da Waze/Google com o seu UberPOOL (o nome desta opção pode variar de território para território), que também é carpooling.

wazerider_03

Os condutores podem usar a aplicação da Waze para fazer a viagem; os passageiros terão de descarregar o Waze Rider para encontrar um veículo. O Waze Rider está a ser testado em São Francisco e tanto os condutores como os passageiros estão limitados a duas viagens por dia. Aos últimos é cobrada uma tarifa de 0,54 dólares por milha percorrida.

Não se sabe quando o Waze Rider será expandido para outras cidades e países, nem se essa expansão vai acontecer. Por enquanto, a Google precisa de testar e afinar a modalidade.