3 anúncios excitantes da Oculus e do Facebook


Actualmente existem duas formas de entrar na realidade virtual (VR): ou com um telemóvel (Samsung Gear VR) ou ou com um computador (Oculus Rift). Mas Mark Zuckerberg anunciou esta quinta-feira, durante a conferência Oculus Connect 3, a criação de uma nova experiência de VR, situada entre as duas.

Esclarecendo alguns pontos: Mark Zuckerberg é o CEO do Facebook e, por isso, o “dono” da empresa de realidade virtual Oculus, fabricante dos Gear VR e dos Rift. E a Oculus Connect é a conferência anual de programadores da Oculus, onde são apresentadas as novidades de VR.

1 – vêm aí uns Oculus independentes de PC/telemóvel e sem fios

Os Gear VR e os Rift são dois óculos de realidade virtual que por fora parecem ter mais em comum do que realmente têm. Sim, ambos permitem ter uma experiência VR, mas são experiências diferentes. Os Gear VR são uns portáteis – podemos levá-los para qualquer lado e basta um telemóvel Samsung (compatível apenas com alguns modelos) para entrar na nova realidade. Já os Rift não podem sair de casa, pois precisam de um computador (com determinadas especificações) para processar e criar o mundo virtual. As diferenças sentem-se na definição da imagem (muito mais nítida e realista nos Rift) e, claro, no preço. Enquanto que os Gear VR custam cerca de 100 euros, o preço dos Rift ronda os 700 euros.

oculusconnect3_02

A Oculus/Facebook está a desenvolver uns novos óculos que vão ter a portabilidade dos Gear VR e que não precisaram nem de um telemóvel nem de um PC para processar a realidade virtual. De acordo com Mark Zuckerberg, o produto está ainda em fase de protótipo. “Acreditamos que há um ponto ideal entre estes segmentos. Um produto de realidade virtual independente, que tem grande qualidade, que é acessível no preço e que podes levar pelo mundo. Pode rastrear o posicionamento e não precisa de fios para um computador”, disse o CEO do Facebook, durante a sua apresentação no Oculus Connect.

O rastreamento de posicionamento é um ponto importante das palavras de Zuckerberg, pois será o elemento que vai ajudar a diferenciar este novo equipamento de uns Gear VR, por exemplo. Na prática, o utilizador poderá mover-se numa sala real e ver a sua personagem virtual a mover-se também, só que no espaço virtual. “Estamos a fazer progressos em visão computacional que nos vão permitir trabalhar nesta nova categoria de produtos”, acrescentou o executivo.

Mark Zuckerberg não disse quando é que os novos óculos vão estar disponíveis ou quanto vão custar; todavia, não é difícil prever que o preço situar-se-á algures entre o do Gear VR e o do Rift.

2 – Oculus Rift já funcionam com PCs menos exigentes

Para funcionarem, os Oculus Rift precisam de ser ligados a um computador com determinadas especificações. No evento Oculus Connect, foi feito um anúncio importante no que respeita a estas especificações. A empresa conseguiu reduzir os requisitos mínimos graças a uma nova técnica chamada Asynchronous Spacewarp, que permite comprimir o número de frames por segundo de uma experiência de realidade virtual para 45 e depois aumentá-lo novamente para os 90.

oculusconnect3_03

Assim, a partir de hoje estes são os novos requisitos mínimos recomendados:

  • Placa gráfica Nvidia GTX 960 (antes: placa gráfica Nvidia GTX 970 / AMD R9 290)
  • Processador Intel i3-6100 / AMD FX4350 (antes: processador Intel I5-4590)
  • 8 GB de memória RAM ou superior
  • Porta HDMI 1.3
  • Uma entrada USB 3.0 e duas USB 2.0 (antes: três entradas USB 3.0 e uma USB 2.0)
  • Windows 8 (antes: Windows 7 Service Pack 1)

Com este ajuste, um computador compatível com os Oculus Rift custa 500 euros.

3 – Oculus Touch chegam finalmente

Os comandos Oculus Touch, há muito anunciados, vão finalmente chegar no dia 6 de Dezembro, mas os interessados poderão fazer a reserva do acessório já na segunda-feira, 10 de Outubro. O preço para o mercado norte-americano é de 199 dólares. Quem comprar os Touch vai receber um terceiro sensor de posicionamento, o que permitirá criar um ambiente de realidade virtual mais preciso.

oculusconnect3_04

Já existem alguns jogos desenvolvidos a pensar nos Touch, sendo que a expectativa é que mais programadores explorem as potencialidades deste comando. O Input API da Oculus permitirá que sejam os jogadores a decidir que comando querem utilizar no jogo.

Além dos Oculus Touch, em Dezembro estarão à venda uns auscultadores especialmente pensados para os Rift e para as experiências de realidade virtual. Custarão 49 dólares