Em tour com os First Breath After Coma (I)


Pausa para o xixi
Pausa para o xixi
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Olá, malta.

No passado mês de Setembro, participámos no festival Reeperbahn, que tem lugar na bela cidade portuária de Hamburgo. Divididos entre os maravilhosos lagos formados pelo rio Alster e o bairro boémio de Sant Pauli, representámos Portugal no Pooca Bar através da iniciativa WHY Portugal. A sensação que tivemos em pisar aquele palco, tão longe da casa pela primeira vez, foi indescritível!

Pois bem, sentimos uma receção tão calorosa que houve quem não quisesse esperar muito mais tempo para que pudéssemos repetir a experiência. Contactados pela Patchanka Booking Agency (GER), fomos convidados a realizar uma tour pela Alemanha. Aceitámos de imediato e juntámos mais duas datas pelo caminho – Madrid e Paris.

Querem vir connosco? Gostávamos que nos fizessem companhia através do nosso diário de viagem, aqui no Shifter.

Dia 1 – o início

Madrugamos com destino à capital espanhola. Taboo é o primeiro palco a pisar nesta viagem. Na carrinha levamos a nossa sala de ensaios, uma muda de cuecas e meias para cada dia (menos o João, que não gosta de se sentir apertado), snacks para uns, fruta para outros e um Feio. Sim, Feio, mas só de nome. Pedro Feio, amigo do norte que convidámos para nos ajudar com a parte técnica do som.

Percorridos alguns quilómetros, para os lados de Castelo Branco, paramos para dar de beber ao nosso burro de carga. Por momentos, pensámos que nos ia deixar ficar mal.

Passamos a fronteira pouco depois da hora de almoço, não podemos esperar mais para provar o que Espanha tem para nos oferecer. Aquele bocadillo de queso com tomate na estalagem Peñafiel veio mesmo a tempo de tapar o buraco no estômago que teimava a aumentar.

Depressa nos fizemos à estrada, temos de cumprir horários e não há tempo para a siesta. No fim de contas, “perdemos” uma hora de viagem, como é que ninguém se lembrou que em Espanha os ponteiros do relógio andam para a frente?!

18h00, chegamos ao Taboo Bar, é tempo de montar tudo para mais logo e de partir a antena da carrinha num parque de estacionamento que, afinal, é mais baixo do que parecia.

O palco está pronto, temos tempo para uma rápida entrevista no backstage, mas pouco para jantar. Felizmente, não foi preciso andar muito para encontrar boa comida. Na porta ao lado do Taboo Bar, encontramos um pequeno negócio de comida persa caseira. Resolvemos entrar. Lá dentro, conhecemos uma senhora tão simpática quanto a comida que apresenta na vitrine. Acabamos a lamber os dedos.

O músico espanhol Tuya abre as portas, com um belíssimo concerto a solo. Obrigado por partilhares o palco connosco. Chegou a nossa vez de subir lá para cima. É muito bom tocar para uma sala tão composta fora do nosso país, que se despede de forma tão calorosa no final. Sair, com uma promessa de que vamos voltar, é lindo!

Rapidamente, arrumamos tudo de novo na carrinha e nos despedimos. Espera-nos uma viagem noite dentro até Paris…

Até amanhã,
First Breath After Coma

Campeões do Tétris
Campeões do Tétris
Pausa para o xixi
Pausa para o xixi
Pausa para o xixi
Pausa para o xixi
Kamé Hamé Ha
Kamé Hamé Ha
A dar de beber ao burro de carga
A dar de beber ao burro de carga
Bocadillo de queso
Bocadillo de queso
Comfy
Comfy
CR7 em tour
CR7 em tour
Os kebabs da senhora simpática
Os kebabs da senhora simpática
Backstage imaculado
Backstage imaculado
Nós e um dragão no tecto
Nós e um dragão no tecto
Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.