Em tour com os First Breath After Coma (II)


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Os portugueses First Breath After Coma estão em digressão pela Alemanha e escolheram o Shifter para relatar as suas experiências. Acompanha o seu diário de viagem, na primeira pessoa. Lê aqui o primeiro capítulo.

Dia 2

Passar 14 horas dentro duma carrinha é tão má quanto soa. Chegámos a Paris às 16h com duas hérnias e uma distensão muscular cada um. Instala-se o desafio do costume, parar uma carrinha grande numa rua estreita e descarregar todo o material, antes que um condutor mais exaltado queira conversar.

Segue-se o desafio do costume nº2, estacionar a carrinha num parque que não seja apetecível aos mafarricos e que tenha mais de 2.5 metros de altura. Acreditem, há poucos.

O Olympic Café é um bar agradável e com boa onda, com um piso inferior dedicado a concertos. Está situado no coração de Paris, numa zona boémia, onde deu para sentirmos um pouco da essência da capital, uma cidade com muita vida e movimento, uma autêntica miscelânea de culturas.

Engolimos o jantar de uma só vez e fomos fazer o soundcheck. Mal acabámos faltavam apenas 10 minutos para as portas abrirem. Foi uma bela estreia em Paris, já andam por aí uns Drifters a circular pela cidade de l’amour.

Chutámos o material para dentro da carrinha e fomos dar uma volta pela cidade, guiados por alguns familiares do Telmo que tinham ido ver o concerto. Mais turístico não podia ser: Arco do Triunfo, Campos Elísios, Torre Eiffel. Só faltava cada um de nós ter um chapéu com a bandeira francesa e um pau de selfie para completar o número.

Acabámos em casa da família do Telmo, onde nos esperavam as camas com que andávamos a sonhar há dois dias. Já só queríamos um sítio para dormir que não estivesse sobre rodas.

Dia 3

Rejuvenescidos, almoçámos um valente arroz de marisco à portuguesa, despedimo-nos daquelas simpáticas e acolhedoras pessoas e fizemo-nos à estrada. Esperavam-nos 7 horas de viagem até Estugarda mas ainda tivemos tempo de tentar bater o recorde de toques na bola #bacalhau. Chegámos ao destino já de noite e aterrámos nas camas. E foi isto, um dia muito interessante passado numa carrinha. Amanhã tocamos em Reutlingen, prometemos que vai ser mais fixe!

Até amanhã,
First Breath After Coma

tourfbac2_01

tourfbac2_02

tourfbac2_03

tourfbac2_04

tourfbac2_05

tourfbac2_06

tourfbac2_07

tourfbac2_08

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!