O dia em que o Facebook “reagiu” com emojis a uma guerra


O tweet da jornalista freelancer Harriet Salem, que já colaborou com a VICE News e o The Guardian, não dá aso a outras interpretações: “Século XXI. O local onde fazemos transmitimos guerra em directo enquanto o Facebook nos pede para reagirmos com um emoji.”

Harriet referia-se à guerra de Mosul, que hoje foi iniciada no Iraque, quando as forças iraquianas, apoiadas por aviões de combate da coligação liderada pelos Estados Unidos e por soldados curdos (Curdistão), se lançaram a recuperar a cidade de Mosul ao auto-proclamado Estado Islâmico.

Alguns órgãos de comunicação social, como a Al-Jazeera English e o britânico Channel 4, entraram em directo nas suas páginas de Facebook, partilhando uma transmissão em directo de um grupo de media curdo, o Rudaw. Os internautas puderam assistir à guerra naquela que é a maior rede social do mundo e, como qualquer outro Live no Facebook, “reagir” com bonequinhos felizes, zangados, tristes ou surpresos.