O mais antigo concurso de bandas está de volta e vai percorrer o país


Muitos podem conhecê-lo como mais uma “cena” do Alvim, outros podem não conhecê-lo sequer. Mas o Festival Termómetro é o mais antigo concurso de bandas ainda em curso, sendo seguido do Festival de Corroios. Começou em 1994, precisamente pela vontade de Fernando Alvim, um homem tão versátil quanto as iniciativas que promove.

Do Termómetro à regata de barquinhos a remos que todos os anos tem vindo a animar o Jardim do Campo Grande, em Lisboa, Fernando Alvim é um homem dos 7 ofícios e das 7 ideias. Conhecido da televisão e da rádio, Alvim também organiza o Monstros do Ano, uma gala que premeia os piores acontecimentos e protagonistas em várias categorias, e o Prémios Novos, um evento para destacar talentos emergentes numa diversidade de áreas.

Honras feitas, vamos ao que importa. No Festival Termómetro, a descoberta de novos prodígios da música moderna é ponto central. Durante a sua longa história, este festival já ajudou a lançar os Silence 4, a Capicua, o Alex D’Alva Teixeira, o Dj Ride, o Noiserv, os Ornatos Violeta e o B Fachada.

A edição deste ano conta com quatro eliminatórias, nas quais tocarão um total de 20 bandas. De Lisboa a Braga, passando por Leiria e Coimbra, os vários grupos e músicos vão ter oportunidade de mostrar o que valem. Depois serão escolhidas cinco bandas destas 20 para se defrontarem na final no Teatro do Bairro, num dos corações da capital.

A banda vencedora do Festival Termómetro em 2016 foram os Whales que, depois disso, viram a sua música passar na Antena 3, rádio à qual Fernando Alvim também está associado e que tem dedicado a maior parte da sua emissão à música portuguesa. “Big Pulse Waves” é o cartão de visita dos Whales e o primeiro single de um álbum que sairá no início de 2017 pela Omnichord Records. Ao longo deste 2016, a banda tocou em vários festivais, do NOS Alive ao Indie Music Fest.