O Natal é John Lewis, mas desta vez a John Lewis não foi John Lewis


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Nos poucos dias que faltam para acabar, pouco ou nada pode acontecer para que este final de 2016 se torne menos mau.

Uma das esperanças estava depositada no anúncio de Natal da cadeia de lojas inglesa John Lewis, a marca que, publicitariamente falando, ajudou a tornar o Natal no “Super Bowl” do Reino Unido. Nesta quadra, mais sagrado que o peru ao jantar só mesmo o anúncio da John Lewis, a marca que todos os anos nos emociona com histórias brilhantes.

Este ano, a agência Adam&EveDDB voltou a contar com a ajuda do realizador Dougal Wilson, que já tinha realizado os anúncios de 2011 “The Long Wait” e 2014 “Monty’s Christmas”, para nos apresentar um boxer de seu nome Buster:

Comecemos por dizer que este anúncio não é mau. No entanto, também é extremamente difícil dizer que seja fantástico. Mas vamos por partes. O filme de dois minutos e onze segundos conta-nos a história de um cão que, tal como a sua dona, tudo o que mais gosta de fazer é saltar. O filme está extremamente bem realizado e tem uma história engraçada, capaz de nos fazer sorrir em certos momentos e tem o seu q.b. de ternura.

O “problema” é que a John Lewis não tem apenas a responsabilidade de fazer um anúncio de Natal. Com tudo o que de bom já fez, a marca carrega o fardo de fazer “O” anúncio de natal, e é neste ponto que podemos dizer que falha redondamente. Falha, porque falta a surpresa de uma criança que anseia pelo Natal para dar os presentes aos pais, a magia de uma lebre que oferece um simples despertador a um urso para que assim, este possa acordar e viver o Natal, falta a emoção de um boneco de neve que arrisca a vida para oferecer um par de luvas e um cachecol o seu amor, entre outros.

Os planos onde estão presentes os atores são fracos e quase sempre em overacting dando a sensação que todo o empenho (e dinheiro) foi gasto na brilhante produção que faz as raposas, esquilos e o guaxinim saltar em cima do trampolim.

Por tudo isto, é justo dizer que se este fosse o anúncio de Natal de uma qualquer outra marca seria um grande anúncio. No entanto, sendo ele assinado pela marca John Lewis, é apenas “normalzinho”.

Porém e como sempre, a marca não se fica pelo anúncio. À volta do filme, há todo um complemento de peças que ajudam a que a campanha de Natal se torne icónica. Este ano há peluches que revertem para a The Wildlife Trust, um vídeo 360º no qual podemos ver os animais no trampolim saltar à nossa volta, e ainda uma adaptação do popular filtro de cão do Snapchat.

Ainda não sabemos que marca será coroada este ano com o “prémio” melhor anúncio de Natal mas, como deves ter percebido, temos sérias dúvidas que seja a John Lewis.

2017, por favor vem depressa.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!