7 bandas e um insuflável: a 1ª festa Pontiaq


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

A Pontiaq reúne algumas das mais profícuas bandas do rock alternativo português. Das guitarras sem maneiras dos PISTA ao indie rock borbulhante dos Ditch Days (uma das revelações do ano), o catálogo da editora liderada por Miguel Vilhena é eclético e cuidado sem ser snob, barulhento nos tempos certos e delicado só quando a circunstância o pede. A expressão “escolhidos a dedo”, tantas vezes usada fora de contexto, ganha com a festa Pontiaq um bravo sentido literal.

Talvez mais importante do que o resto, não há na Pontiaq seriedade e formalismos no ar — a “música para pensar” parece, e bem, não existir entre bandas, sendo esse o elemento comum entre todas elas: as canções são para se sentir, saltando num barco insuflável sobre o público — como aconteceu com os animalescos Savanna — ou fixando o olhar nas palhetadas certeiras dos mais ajuizados JUBA e Basset Hounds. Em suma, faz-se música cuidada para ouvir sem peneirices, e isso sabe-nos bem, francamente bem.

Vídeo de: Rodrigo Morais e Guilherme Braz/Shifter

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!