Manto de gelo da Antártida Ocidental está a rachar de dentro para fora


 

O glaciar Pine Island, no manto de gelo da Antártida Ocidental, está a rachar a uma velocidade assustadora, podendo resultar num colapso antecipado do manto e consequente inundação de cidades costeiras.

Um artigo científico, publicado pela Geophysical Research Letters, descreve as mudanças observadas neste glaciar, no qual é possível confirmar, através de imagens de satélite, a formação de uma fenda na base da plataforma de gelo situada a cerca 32 km da sua extremidade, em 2013.

Esta fenda propagou-se em direcção à superfície durante 2 anos, resultando na formação de um icebergue com cerca de 583 quilómetros quadrados, em 2015.

Os cientistas acreditam que a fenda que originou este iceberg resulta do aquecimento dos oceanos, que começam a derreter o gelo bem dentro das plataformas de gelo. Isto é assim uma nova ameaça para o manto de gelo da Antártica, onde é comum a formação de fendas nas margens do manto, mas não no seu interior.

Estudos anteriores sugerem que o manto de gelo da Antártida Ocidental é particularmente instável, podendo colapsar nos próximos 100 anos. Este colapso poderá levar a um aumento de 3 metros do nível do mar, resultando na inundação de várias cidades costeiras. Nos EUA, isto significa que cidades como Nova Iorque e Miami ficariam submersas.

Segundo Ian Howat, professor da Universidade do Estado de Ohio, “é geralmente aceite que não é uma questão de ver se o manto de gelo da Antártida Ocidental colapsa ou não, é  apenas uma questão de quando irá colapsar”. Mais ainda, a formação deste género de fendas “aumenta a probabilidade de vermos um colapso significativo da Antártida Ocidental no nosso tempo de vida”.

Gostaste do que leste? Quanto vale conteúdo como este?

Trabalhamos todos os dias para te trazer artigos, ensaios e opiniões, rigorosos, informativos e aprofundados; se gostas do que fazemos, apoia-nos com o teu contributo.