Os More Than A Thousand dizem-nos “farewell”


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Foram, dentro do universo do metalcore português, um fenómeno de massas. A carreira dos More Than A Thousand, composta por três discos (Volume II: The Hollow, Volume IV: Make Friends and EnemiesVolume V: Lost at Home) e três EP (Too Many Teen Massacre Horror Movies, Volume I: Trailers Are Always More Exciting Than Movies, Volume III: Marchega ao fim passados 16 anos. A despedida faz-se no Estúdio Time Out, estando a lotação da sala esgotada.

morethanathousandfarewell_02

Presença regular em festivais ao longo de toda a Europa, a banda setubalense, tal como os Moonspell, dividiu a sua carreira entre o circuito ibérico e as tours ao longo do Benelux, França, Alemanha e Reino Unido. A sua base de fãs foi aumentando com a migração — em 2005, a banda de Vasco Ramos, Filipe Survival e Sérgio Sousa muda-se temporariamente para Londres —, sendo os dois discos mais bem sucedidos da banda (Volume IV: Make Friends and Enemies e Volume V: Lost at Home) editados respetivamente no Japão e Estados Unidos, já nesta década.

Depois da passagem pelo Reino Unido, a banda cimentou as bases para o metal na sua cidade-berço, contribuindo para o nascimento da Secret Society of Friends, um movimento de bandas entre o punk, o emocore e o metal, do qual faziam parte nomes como os Hills Have Eyes, Banshe ASEWCR, My Cubic Emotion, One Hundred Steps e Ella Palmer.

Em Portugal, os More Than A Thousand fizeram as primeiras partes de Mastodon e Metallica, no Super Bock Super Rock, sendo mais tarde escolhidos pelos 30 Seconds To Mars como banda de suporte para os concertos no Pavilhão Atlântico, Palacio Vistalegre, em Madrid, e St. Jordi Club, Madrid. Um dos principais concertos aconteceu em 2010, quando a banda tocou no Rock in Rio, acompanhada por Rui Veloso, amigo e mentor de Vasco Ramos.

A tour de despedida começou em Fevereiro, com 11 datas europeias, estendendo-se em solo luso até Maio, com concertos em Loulé, Leiria, Paços de Ferreira e Porto. Para este último concerto, o grupo escolheu os Hills Have Eyes e Ash Is A Robot, duas das bandas mais ativas no metal setubalense, para acenar a despedida.

Ricardo Sousa, Pedro Pais, Jorge Felizardo e Rui Grenhas representaram, ao longo das primeiras formações da banda, a secção rítmica dos More Than A Thousand. André Viegas foi o primeiro vocalista. Atualmente, Wilson Silva e Mike Ghost são os responsáveis pelas lides da bateria e do baixo.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.