Amadeo de Souza-Cardoso numa exposição imperdível

De 12 de Janeiro a 26 de Fevereiro no Museu do Chiado.

A mostra “Amadeo de Souza-Cardoso / Porto Lisboa / 2016-1916”, que atraiu mais de 40 mil visitantes ao Museu Nacional de Soares dos Reis, no final do ano passado, no Porto, chegou neste dia 12 de Janeiro ao Museu do Chiado, na designação oficial Museu Nacional de Arte Contemporânea (MNAC), em Lisboa.

Quando Amadeo de Souza-Cardoso regressou a Portugal no início da Primeira Guerra Mundial, era um pintor reconhecido nos meios da vanguarda, tendo participado em exposições colectivas em Paris, Berlim, Nova Iorque, Chicago, Boston e Londres. As exposições individuais que realizou em Portugal, em 1916, inserem-se nessa determinação de afirmação da carreira: a primeira decorreu no Porto, no Jardim Passos Manuel, de 1 a 12 de Novembro; a segunda, em Lisboa, na Liga Naval Portuguesa, de 4 a 18 de Dezembro.

A mostra que agora chegou ao Museu do Chiado é uma recriação das exposições realizadas por Amadeu há 100 anos e que provocaram grande escândalo e polémica, sobretudo no Porto, devido à incompreensão da época relativamente às estéticas de vanguarda. Com curadoria de Marta Soares e Raquel Henriques da Silva, o Museu do Chiado acolhe cerca de 80 obras identificadas a partir dos catálogos originais.

O que se viu há cem anos e o que vemos hoje nas obras expostas? Como eram os espaços onde Amadeo expôs? Qual o papel de Amadeo enquanto “comissário” de si próprio? O que poderá ter motivado as reações mais violentas? O que se escreveu na imprensa? Que discussões houve em torno da pintura de vanguarda? Estas são algumas das questões fundamentais desta exposição.

“Amadeo de Souza-Cardoso / Porto Lisboa / 2016-1916” vai ficar patente ao público no Museu do Chiado até 26 de Fevereiro. Será acompanhada por um ciclo de conferências, cujo programa podes consultar aqui.

Foto de: Jaime Silva/Flickr