Nasceram 2 aceleradoras de start-ups no Porto. Uma de música, outra de design

Procuram-se ideias inovadoras até 28 de Fevereiro.

Beta Sound System e o Porto Design Accelerator foram lançados oficialmente no início de Janeiro no Porto, com a presença do Secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos. Tratam-se de dois programas de aceleração de ideias, ligados às áreas de música e design.

Os dois programas, de âmbito nacional, estão a aceitar ideias até 28 de Fevereiro. Findo esse prazo, existirá um período de avaliação e decisão, e as 10 start-ups vencedoras (do Beta Sound System e do Porto Design Accelerator) terão 6 meses para meter mãos às obras, a partir de 1 de Abril. As primeiras 12 semanas serão dedicadas ao desenvolvimento de produto, com acompanhamento especializado e educativo; nas restantes 12 semanas, as start-ups terão oportunidade de escalar, focando-se nas fases de financiamento, produção e acesso ao retalho.

O Beta Sound System visa apoiar o surgimento de uma nova geração de negócios musicais, produtos musicais e tecnologias, desde a criação de música até novas formas de consumo. Por seu lado, o Porto Design Accelerator destina-se ao design dos mais variados sectores (moda, sector automóvel, mobiliário urbano…), combinando-o com o fabrico em Portugal. As duas aceleradoras são da responsabilidade do Porto Design Factory, integrado no Instituto Politécnico do Porto.

O Beta Sound System é promovido em parceria com a Casa da Música. O Porto Design Accelerator conta com o apoio do TICE.pt – Pólo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica. As start-ups vão trabalhar, em permanência, na Porto Design Factory.

“Na plateia [da apresentação pública] tínhamos a IKEA, a Sonae, muita indústria, o que prova que a relação da Porto Design Factory e do Politécnico do Porto com a indústria é longa e que a indústria reconhece essa relação como muito proveitosa. Estes dois aceleradores vão permitir criar um sistema, um método, para que novas ideias de negócio se cruzem com a indústria, que sejam fonte de inovação em setores na música e no design”, comentou o Secretário de Estado da Indústria. “A fronteira entre indústria e criatividade é muito ténue e no futuro ainda mais ténue será, talvez até desapareça. Isso tem sido claro em vários setores (confecções, vestuário, calçado, cerâmica, mobiliário), mas vai acontecer em todos os setores (tecnologia, metalomecânica, etc). O que a Porto Design Factory está a fazer é antecipar isso, preparar-se com a indústria para encarar esse tempos e para encarar o design como fonte de inovação tão ou mais importante do que a ciência ou a tecnologia”, concluiu João Vasconcelos.

Podes saber mais sobre o Beta Sound System e o Porto Design Accelerator no aqui.