Unsplash: a história de uma das mais excitantes comunidades de fotografia

Ou... a história de como um “side project” pode salvar uma start-up.

Parte da receita para uma start-up ser bem sucedida é resolver um problema real. O Unsplash foi lançado em 2013 como “side project” de outra start-up. Mas o facto de não existir nada do género e haver uma necessidade para suplantar permitiu a este “side project” escalar rapidamente. Hoje é uma start-up independente, bem sucedida no seu próprio negócio.

Quando há três anos Mikael Cho e a sua equipa da Crew, start-up canadiana que desenvolveu uma comunidade online para outras start-ups encontrarem designers e programadores freelance, lançaram o Unsplash, estavam preocupados com o futuro da sua empresa. “Não tínhamos dinheiro”, partilhou Mikael, em 2014, no blogue da Crew. “Precisávamos de encontrar clientes. Mas ninguém sabia quem nós eramos. Budget para marketing? Por favor. Estávamos a tentar manter as luzes acesas.”

Captura do site da Crew
Captura do site da Crew

A Crew estava apertada e, segundo o seu cofundador, Mikael Cho, coisas como dinamizar o tradicional blogue de empresa “poderiam demorar meses até ter um grande impacto”. “Fazer um bom produto para gerar um bom boca-a-boa é imperativo mas também leva tempo”, acrescentou o empreendedor canadiano. “Mesmo estando a trabalhar nessas coisas, precisávamos de encontrar uma maneira de acelerar o crescimento ‘normal’ de forma a sobrevivermos.”

Essa coisa foi o Unsplash. A Crew estava a trabalhar na homepage do seu site e precisava de uma imagem. “Enquanto pesquisávamos por uma foto para usar, percebemos que todas eram ou demasiado más, ou demasiado caras, ou ambas”, conta. “Por isso, contratámos um fotógrafo e fizemos uma série de imagens num café. Usámos apenas uma foto pelo que havia sobras. Pensámos então, provavelmente há muitas pessoas com o mesmo problema que nós pelo que vamos partilhar essas fotos online de borla.”

Com um template de Tumblr de 20 dólares e três horas depois, nasceu o Unsplash com 10 imagens e um link para o site da Crew. Mikael partilhou o recém-criado directório no fórum HackerNews – depressa, o Unsplash registou 50 mil visitantes. Três anos passados, a plataforma regista 3 downloads por segundo – existe um mapa onde podes acompanhar toda a actividade, incluindo novas fotos e gostos, em tempo real. Só de 2015 para 2016, os número de descargas registou uma subida de 200% e o tempo despendido à procura da imagem certa cresceu 140%.

Mapa interactivo mostra os downloads via Unsplash em tempo real
Mapa interactivo mostra os downloads via Unsplash em tempo real

É hoje um dos melhores sítios online para encontrar fotos para um artigo, projecto de design ou outro tipos de trabalho. Gratuito, disponibiliza dezenas de milhares de imagens de alta resolução que podes usar à vontade. O Unsplash não só é uma ferramenta útil no dia-a-dia de criação de conteúdo, como uma boa alternativa aos bancos de imagem pagos, como o Shutterstock. É cada vez mais difícil navegar na web sem tropeçar numa foto proveniente do Unsplash – seja no site de uma empresa jovem, num blogue com milhares de visitas ou no Shifter.

A par do crescimento da popularidade do deste projecto, os recursos humanos alocados aumentaram também. A equipa cresceu de 1 para 5 pessoas. Já fez um livro impresso, uma extensão para Chrome e uma aplicação para Apple TV, criou cartões natalícios, organizou encontros e caminhadas para entusiastas… Isto para nomear apenas algumas iniciativas. esta ferramenta passou de um mero banco de imagens gratuito para “uma das comunidades de fotografia de mais rápido crescimento e mais impactantes”.

The Unsplash Book
The Unsplash Book

Ao longo dos três anos, o unsplash.com mudou bastante. De um simples Tumblr com links Dropbox, o Unsplash passou a ser um site completo. Há uma página com as fotos mais populares, outra com as últimas submissões. Podemos descobrir colecções com as melhores imagens ou criar uma conta para navegar no Feed, uma lista dos trabalhos das pessoas que decidimos seguir e dos conteúdos que se enquadram nas categorias temáticas que nos interessam (por exemplo, “natureza”, “pessoas” e “arquitectura”).

Unsplash Feed
Unsplash Feed

Com conta criada, também ganhamos acesso ao perfil onde estão as fotos que submetemos para publicação. Podemos acompanhar as visualizações, downloads e gostos nas estatísticas a qualquer momento. Todas as imagens que partilhamos podem ter um título e história associados, podemos adicionar a localização e também adicionar detalhes sobre o modelo da câmara, distância focal, abertura, ISO e velocidade de disparo.

Quem aqui partilha as suas fotos  não recebe qualquer tipo de compensa monetária. Essa não é a motivação da comunidade do Unsplash. “Quero que meu trabalho apareça ao lado de criadores brilhantes e talentosos. Quero que as pessoas façam o que quiserem com as minhas fotos. Essa é a questão. Não tiro essas fotos para ganhar dinheiro. Coloco no Unsplash as fotos de que gosto e não interessa se vocês gostam ou não gostam delas”, explica um contribuidor, Patrick Tomasso, numa publicação partilhada pela equipa do Unsplash no seu Medium.

Dado o rápido crescimento do Unsplash e o potencial “excitante” do projecto, tornou-se urgente para a Crew separar as águas. “Gerir a Crew e o Unsplash em conjunto ficou mais difícil”, explica Mikael numa publicação no início de Janeiro de 2017, onde anuncia o estabelecimento do Unsplash enquanto empresa independente da Crew. “A Crew e o Unsplash precisam de mais atenção diária. E operá-los com os mesmos recursos prejudica a nossa capacidade de foco”, explicou.

Desde 5 de Janeiro que a Crew é uma coisa e o Unsplash é outra. Mikael está agora a tempo inteiro no último; já Angus Woodman, o seu parceiro, mantém-se na Crew. Cada start-up tem cerca de 2,5 milhões de dólares (5 milhões no total) de uma ronda de investimento de 8,5 milhões conseguida há dois anos. “Budgets separados para cada um”, reforça Mikael. As duas empresas partilham apenas o escritório – o Crew Cafe, um espaço de coworking situado em Montreal.

Crew Cafe
Crew Cafe

“A principal mudança daqui para a frente é o foco. Todos no Unsplash dedicarão toda a atenção à comunidade do Unsplash. E todos na Crew prestarão atenção à comunidade da Crew”, remata o cofundador da Crew e agora director do Unsplash. A comunidade do Unsplash não inclui exclusivamente entusiastas de fotografia; também todos os programadores que criativamente têm usado a Unsplash API. Existem cerca de 5 mil aplicações com Unsplash integrado, incluindo um plugin para rapidamente preencher projectos de design com imagens bonitas e uma app para definir o novo fundo do computador.