Descobertos 7 planetas potencialmente habitáveis a 40 anos-luz da Terra

É o maior número descoberto de planetas a orbitar uma única estrela fora do nosso Sistema Solar.

O Telescópio Espacial Spitzer da NASA detectou o primeiro sistema com sete planetas de tamanho semelhante à Terra a orbitar em torno da mesma estrela, existindo uma grande probabilidade de pelo menos três destes planetas potencialmente habitáveis terem água no estado líquido.

Esta descoberta representa um novo recorde do número de planetas potencialmente habitáveis descobertos a orbitar uma única estrela fora do nosso sistema solar. Este sistema de exoplanetas (planetas fora do nosso Sistema Solar) encontra-se relativamente perto da Terra, a cerca de 40 anos-luz, na constelação Aquarius.

O sistema tem como nome TRAPPIST-1, derivado do telescópio TRAPPIST, localizado no observatório de La Silla, no Chile. Em Maio de 2016, foram detectados três exoplanetas potencialmente habitáveis com recurso a este telescópio. Agora, com a ajuda de vários telescópios terrestres, o Spitzer confirmou a existência de dois destes planetas e descobriu cinco planetas adicionais.

Ao contrário do Sol, a estrela TRAPPIST-1 é uma estrela anã ultra-fria. Isto significa que esta estrela é fria o suficiente para que possa existir água no estado líquido em planetas a orbitar muito próximos dela. De facto, todos os exoplanetas aqui descobertos estão mais perto da TRAPPIST-1 do que Mercúrio está do Sol, reforçando assim a esperança de que estes planetas possam ter água líquida à superfície.

Os resultados foram publicados na revista Nature e representam, sem dúvida, uma descoberta bastante importante na busca de vida noutros planetas. Como Thomas Zurbuchen, administrador do Directório da NASA para missões espaciais em Washington,  explica, “responder à questão ‘Estamos sozinhos?’ encontra-se no topo das prioridades científicas e encontrar tantos planetas como estes pela primeira vez numa zona habitável é um avanço significativo na concretização deste objectivo”.