Estas capas são sobre igualdade de género

É a primeira vez na história que a Vogue faz capa com uma modelo transexual.

Estamos rodeados de noções sobre o que significa ser homem ou mulher. Somos ensinados na escola a identificar o género de alguém conforme os cromossomas: XX é rapariga, XY é rapaz. Esquecemo-nos de que este XX ou XY muitas vezes não conta a história toda, e de que aquilo que somos depende muito da infância que vivemos, da forma como somos educados, da presença feminina ou masculina que se manifesta à medida que crescemos. Não estará na altura de mudar mentalidades? As revistas mais emblemáticas do mundo estão a convidar-nos a fazê-lo.

Já tinha acontecido com a National Geographic, que em Janeiro fez capa com a foto de uma rapariga de nove anos transexual. Na altura, a publicação gerou grande controvérsia nas redes sociais: inúmeras pessoas expressaram o seu contentamento pelo facto de a National Geographic, reconhecidíssima a nível mundial, ter arriscado neste tema.

Outras tantas, prometeram cancelar a subscrição da revista. A redação não tremeu, e decidiu responder às críticas com um artigo sobre o porquê de terem decidido dar voz a esta temática. “Hoje em dia, a igualdade de género é um tema que está cada vez mais na ordem do dia. Essa é a razão pela qual decidimos explorar o tema este mês, olhando para ele através dos olhos da ciência, dos sistemas sociais e da civilização ao longo da história”, defende a revista, num texto assinado pela sua directora editorial, Susan Goldberg.

“Visitámos oito países e tirámos fotografias a 80 crianças de nove anos, que nos falaram sobre a forma como o género influencia o seu dia a dia. Esperamos sinceramente que estas histórias façam com que as pessoas percebam o quão longe já chegámos em relação a este tema e o longo caminho que ainda nos falta percorrer”, acrescenta.

Agora foi a Vogue Paris. Para a edição de Março, a revista escolheu a modelo brasileira Valentina Sampaio para ser a imagem de capa. Valentina nasceu com o sexo masculino mas sempre se sentiu mulher. Foi através do Instagram, onde a modelo tem mais de 40 mil seguidores, que a editora da Vogue Paris, Emmanuelle Alt, descobriu Valentina e decidiu fazer-lhe o convite. O objectivo da edição do próximo mês é celebrar a beleza transexual e alertar para a importância da igualdade de género e dos direitos humanos, explicou em entrevista: “A Valentina é a capa da Vogue este mês, não só pela sua beleza ou personalidade, mas pela forma como luta para ser reconhecida.”

A edição de Março, com Valentina na capa, sai na próxima quinta feira, dia 23.