“Hip to da Hop: Uma Viagem por Portugal entre 4 Vertentes”

Uma viagem através das quatro vertentes pelos quatro cantos de Portugal.

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Foi ontem divulgado o primeiro teaser do documentário “Hip to da Hop: Uma Viagem por Portugal entre 4 Vertentes”, uma proposta da dupla de realizadores António Freitas e Fábio Silva e com produção da Follow Creative Studio. Para além do trailer, os mentores do projecto lançaram ainda uma campanha de crowdfunding, para apoiar a produção e tornar possíveis todos os objectivos a que este documentário se propõe.

António Freitas é realizador e designer há vários anos e fundador da Follow Creative Studio. Grafitou durante vários anos enquanto Kier, tendo tido um papel ativo na segunda geração de writters em Portugal, vencido vários concursos de graffiti. Fábio Silva é formado em literatura, jornalismo e audiovisual, sendo atualmente da equipa de coordenação do H2tuga, para onde tem contribuido com várias críticas e reportagens ao longo dos últimos anos.

Hip to da Hop foi produzido durante o último ano e meio com o propósito de levar o hip hop até um público mais amplo. Procurando valorizar e respeitar os valores essenciais desta cultura, foca-se em alguns dos seus protagonistas, sejam eles rappers, DJ’s, Writers ou Bboys, procurando dar ao público uma oportunidade única de compreender realmente o que é o Hip Hop e de conhecer a sua história um pouco por todo o país.

São cerca de três dezenas de entrevistados presentes neste documentário, entre eles nomes bem conhecidos como Ace, Mundo Segundo, Odeith, Bambino, Chullage, Orelha Negra, DJ X-Acto, NBC, Slow J, Beatbombers, Bdjoy, TNT, Sanryse, Sensei D ou SãoOneArt.

A realização, direção, fotografia e argumento são da autoria do António Freitas e Fábio Silva. A música ficou a cargo de António Lopes Gonçalves, André Almeida, Sensei D, Orelha Negra. Sound Design por André Almeida e as legendas por Francisco Flores. O documentário ainda não tem data de estreia oficial, pois esta irá depender do resultado da campanha de angariação de fundos. Para mais informações podem consultar o site www.hiptodahop.com.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!