Metro do Porto vai ter uma nova linha

A Linha Rosa ligará a estação da Casa da Música a São Bento, servindo zonas como a Praça da Galiza e o Hospital de Santo António.

O Metro do Porto vai ganhar uma nova linha. A Linha Rosa (G) ligará a estação da Casa da Música a São Bento, servindo zonas como a Praça da Galiza e o Hospital de Santo António, num investimento de 181 milhões de euros. Simultaneamente, a Linha Amarela (D) será expandida, em Gaia, até Vila D’Este – uma obra de 106 milhões de euros.

A nova Linha Rosa será totalmente subterrânea e o percurso contempla, para já, apenas estações, uma na Praça da Galiza e outra no Hospital de Santo António. Com a concretização desta linha, o Porto passará a ter um trajecto circular que liga alguns dos principais pontos da cidade, como a baixa, a Casa da Música e o pólo universitário. Já em Gaia, a extensão do percurso da Linha Amarela (D) até Vila D’Este representa um acréscimo de 3,18 km à extensão actual da linha e duas novas estações intermédias: Manuel Leão e Hospital Santos Silva.

No total, serão 7 novas estações que começarão a ser construídas em 2019. As obras durarão 3 anos, de acordo com as estimativas oficiais. Os concursos públicos deverão ser lançados em Maio de 2018. Estima-se que este investimento de 290 milhões de euros do Ministério do Ambiente gere uma procura adicional na rede superior a 30 mil novos clientes/dia útil.

Actualmente, a rede de Metro do Porto é constituída por 6 linhas, distribuídas por 7 concelhos, transportando cerca de 58 milhões de clientes por ano. De acordo com uma nota divulgada, as novas ligações aproximarão o Metro do Porto “dos objectivos estratégicos traçados para o período de 2007 a 2027 que visam a cobertura de zonas chave – onde a densidade populacional excede os 5000 habitantes por quilómetro quadrado –, bem como o ordenamento territorial e a mobilidade urbana, e ainda a eficiência na utilização dos recursos e a sustentabilidade económica e ambiental”.

O Metro do Porto, de gestão privada, não será o único a beneficiar de investimento do Governo com a sua expansão em vista. Para o Metro de Lisboa, que se mantém na alçada do Governo, estão reservados 210 milhões, que vão ser utilizados para o prolongamento da Linha Amarela, com a construção de estações na Estrela e em Santos.

Foto: Flickr