O cinema português que está em destaque no Festival de Berlim

Nunca o cinema português teve tanta presença em Berlim, com um recorde de 9 filmes.

O cinema português continua a conquistar a crítica internacional. Depois de Nuno Lopes ter arrecadado o prémio de melhor actor, na secção Orizzonti do Festival Internacional de Cinema de Veneza, chega a vez da edição alemã, no Festival Internacional de Cinema de Berlim.

Depois da edição de 2016, onde marcaram presença sete títulos portugueses, e onde Leonor Teles conquistou o prémio de melhor curta-metragem com o documentário Balada do Batráquio, Portugal pode orgulhar-se de mais uma conquista no panorama internacional com a presença recorde de nove filmes de produção ou co-produção nacional, seis dos quais entram na corrida pelo cobiçado Urso de Ouro.

Não é uma competição estranha para alguns dos cineastas nomeados, tendo já vários competido em edições anteriores e até ganho alguns prémios, como é o caso de João Salaviza, que trouxe para Portugal o prémio de melhor curta, em 2012, com o filme Rafa.

No entanto o destaque vai para Colo, de Teresa Villaverde, que compete na categoria de melhor longa metragem. Já na categoria das curtas estão os filmes de João Salaviza, Salomé Lamas, Diogo Costa Amarante e Gabriel Abrantes. A estes junta-se ainda o filme Joaquim, do brasileiro Marcelo Gomes, de co-produção nacional e que conta com Nuno Lopes no elenco.

Esperamos que a boa forma do cinema português se mantenha, mas entretanto confere connosco a lista dos filmes que marcam presença em Berlim.

Colo – Teresa Villaverde

Um pai, uma mãe e uma filha lutam contra as dificuldades impostas pela crise económica portuguesa

Altas Cidades de Ossadas – João Salaviza

Karlon, nascido na Pedreira dos Hungaros e pioneiro do rap crioulo, foge do bairro onde foi realojado.

Os Humores Artificiais – Gabriel Abrantes

Antropologia e inteligência artificial cruzam-se na exploração do humor, enquanto forma de controlo social, uma das formas mais complexas de comunicação, central para as relações humanas.

Coup de Grace – Salomé Lama

Cidade Pequena – Diogo Costa Amarante

Em Setembro, o jovem Frederico aprende que se o coração pára as pessoas deixam de viver.

Joaquim – Marcelo Gomes

Retrato histórico da vida do herói nacional do Brasil José da Silva Xavier, o Tiradentes.

Vazante – Daniela Thomas

Montanhas de Diamantina, Brasil, 1821. Um vendedor de escravos, António, volta à fazenda que ele herdou apenas para descobrir que a sua mulher faleceu durante o parto. Confinado à sua propriedade desolada, decide voltar às suas expedições comerciais.

Spell Reel – Filipa César

Odd é Um Ovo – Kristin Ulseth

Texto de: Daniel Silva
Editado por: Rita Pinto