Sugestões para celebrares o Dia Mundial do Teatro

E para te lembrares de dar importância a uma arte que tanto a merece.

Dia Mundial do Teatro

A conversa de que o teatro é subvalorizado não é nova mas ainda é – infelizmente – necessária. A qualidade das peças produzidas em Portugal merecia ser capa de jornais diários e a decadência das companhias de teatro por falta de receitas e interesse do público devia ser convite suficiente para reverter estes preconceitos acerca de uma arte que só merece ser valorizada. Se no cinema, a narrativa tem magia, não devia ter mais ainda quando vemos a história desenrolar à nossa frente? Quase podemos tocar nos actores e sentir-nos parte da peça?

Que o Dia Mundial do Teatro seja uma chamada aos teatros do país e à responsabilidade de todos para que não os deixemos morrer. A efeméride assinala-se este dia 27 de Março, mas o Shifter deixa-te aqui o programa que vários teatros espalhados pelo país escolheram para assinalar a data, no próprio dia ou ao longo desta semana.

Teatro D. Maria, Lisboa

O Teatro D. Maria, junto à praça do Rossio em Lisboa, abre as suas portas com eventos variados, todos com entrada livre, mediante o levantamento de bilhetes. Existe um limite de 2 bilhetes por pessoa, sujeitos à lotação disponível e podes levantá-los a partir das 10h30. É pena que só o “grátis” faça filas no teatro, mas que sirva para lhe ganhar o gosto.

Às 14 horas, vais poder fazer uma visita guiada à exposição “Teatro Em Cartaz: A Coleção do D. Maria II, 1853-2015”, com curadoria de Lizá Ramalho e Artur Rebelo.

Mais tarde, às 16 horas e às 19 horas, poderás assistir à peça “Ethica. Natura e Origine della Mente”, do dramaturgo e encenador italiano Romeo Castellucci, que estará pelas 20 horas no Teatro D. Maria para uma conversa com o público, moderada por José Tolentino de Mendonça.

Às 21 horas, poderás assistir a “Tiranossauro Rex – Procedimento Básico de Memorização e Esquecimento”, um espectáculo de Alex Cassal em vários sítios do Teatro D. Maria II a que o público habitualmente não tem acesso.

Por fim, às 21h30, começa a peça “Ensaio Para Uma Cartografia”, encenada por Mónica Calle e que, ao contrário da obra de Castellucci que termina esta segunda-feira, estará em cena até 9 de Abril (quarta às 19h30, de quinta a sábado às 21h30 e domingo às 16h30).

Mais detalhes aqui.

Teatro Villaret, Lisboa

Imagina dois homens completamente nus numa peça de teatro. É isso mesmo que acontece de quinta a sábado às 21h30 e aos domingos às 16h30 no Teatro Villaret, em Lisboa. Miguel Guilherme e Jorge Mourato despem-se em “Dois Homens Completamente Nus”, uma peça encenada por Tiago Guedes a partir de um texto de Sébastien Thiéry.

André Chaves (Miguel Guilherme) é um homem sério, de conduta irrepreensível e reputação imaculada: advogado conceituado, marido fiel, pai de dois filhos. Daí a sua total incredulidade quando, certo dia, acorda nu na sua sala de estar, deitado ao lado de outro homem (Jorge Mourato), também ele nu, sendo o último um dos associados da firma de adovogados onde trabalha há anos.

Saídos de uma espécie de blackout, ambos têm dificuldade em perceber o que aconteceu e nenhum consegue arranjar uma explicação para o sucedido, tampouco lembrar-se do que os poderá ter levado ali. O transtorno aumenta com a entrada em cena da mulher de André (Sandra Faleiro). Perante a total incapacidade de justificar e compreender a sua presente situação, André vai inventar tudo para tentar salvar o seu casamento e para provar uma verdade que ele próprio não sabe qual é.

Os bilhetes podem ser comprados aqui.

Teatro Turim e Teatro de Carnide, Lisboa

Na Estrada de Benfica, em Lisboa, o Teatro Turim apresenta “A Maluquinha”, uma peça inspirada na célebre peça de André Brun, “Maluquina de Arroios” – uma comédia de costumes escrita em 1919 e estreada no mesmo ano no Teatro da República, que conta a história de enganos de uma família de vigaristas que, através dos mais variados esquemas, vive muito acima das suas possibilidades. O espectáculo vai estar em cena dias 27 e 28 de Março, às 21 horas.

No dia 31 estreia “Transmutação”, uma obra inspirada na obra de Franz Kafka, The Metamorphosis. Neste texto, conta-se a história de Alex, um delegado de informação médica que abandona as suas vontades e desejos para sustentar a família e pagar a dívida dos pais. Numa manhã, decide deixar de viver uma vida que não é a sua e com isso descobrimos que nem todos vivemos a nossa própria vida.

O centenário Teatro de Carnide vai estar a mostrar “Sem Dó Nem Piedade”, um espetáculo concebido pelos alunos do curso de interpretação daquele Teatro, com encenação de Sofia Ângelo, a partir do livro Crímenes Ejemplares, de Max Aub.

Teatro Nacional de São João, Porto

E se fazer teatro fosse apenas um pretexto para o prazer de ler e falar sobre ele, para o gesto de o lembrar e celebrar? Ao longo desta segunda-feira a partir das 10 horas, o Teatro Nacional de São João convida-te a juntares-te à festa.

O Teatro Nacional São João (TNSJ) e o Mosteiro de São Bento da Vitória (MSBV) abrem-se para três visitas guiadas de entrada gratuita, que te permitirão ver ainda a exposição “Noites Brancas”, uma travessia por territórios cénicos que fazem a memória deste teatro, integrando cenários, figurinos, adereços, vídeos, fotografias e cartazes. Também pela manhã, na entrada do TNSJ e no átrio do MSBV, tem início uma Feira do Livro de Teatro, que se prolonga até sexta-feira, na qual podes encontrar os livros editados e coeditados pelo TNSJ nos últimos anos, com descontos até 80%.

À tarde, Alexandra Moreira da Silva – professora e ensaísta que vem realizando um dos percursos mais consistentes e ousados no campo da investigação teatral – aborda os limites do teatro ao falar-nos de um criador que tem feito do palco o lugar onde só o irrepresentável é digno de ser representado: Romeo Castellucci. “Fazer Mundo Com o Espanto dos Mundos: Romeo Castellucci e a Criação Partilhada” é o título do seminário que vai decorrer das 15h30 às 19h00 na Sala do Tribunal do MSBV. Inscrição prévia para oficinas@tnsj.pt; entrada gratuita até ao limite da lotação.

Para mais informações, visita esta página.

Teatro Municipal do Porto, Porto

Na quinta e na sexta-feira, 30 e 31 de Março, vais poder ver “Noite de Outono”, a primeira de quatro noites da “Tetralogia das Estações” do dramaturgo Luís Mestre, no Rivoli. De acordo com o site do Teatro Municipal do Porto, instituição que integra o espaço do Campo Alegre além do Rivoli, esta peça “é uma celebração de um corpo em fim de linha, em perda irremediável de si mesmo”.

Um homem de teatro, isolado, fragmentado, já sem forças, em plena crise das suas faculdades criativas, tem momentaneamente por companhia e testemunha inesperada uma jovem mulher. Este nocturno é atravessado por diferentes momentos de perturbação e deslocamento: um encontro entre a arte, com o seu sacrifício e violência, e a vida mundana, repleta de acontecimentos banais.

Mais detalhes aqui.

Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada

A Companhia de Teatro de Almada comemora o Dia Mundial do Teatro com muitas actividades em vários espaços. As comemorações iniciam-se às 17 horas e são todas de entrada livre.

A essa hora, na Sala Experimental do Teatro Municipal Joaquim Benite, haverá uma leitura da peça “Migrantes”, de Matéi Visniec, próxima produção da Companhia de Teatro de Almada, com encenação de Rodrigo Francisco, e estreia marcada para dia 21 de Abril.

Às 19 horas, na entrada do Teatro Municipal Joaquim Benite vai realizar-se o lançamento do terceiro volume da colecção O Sentido dos Mestres, desta vez dedicado a Ricardo Pais e intitulado Aprender a Esquecer.

Às 21h30, dois espectáculos de teatro: no Teatro Municipal Joaquim Benite a peça “A Noite da Iguana”, de Tennessee Williams, interpretada pelos Artistas Unidos e encenada por Jorge Silva Melo. À mesma hora no Fórum Municipal Romeu Correia será apresentada a peça “Bonecos de Luz”, a partir de Romeu Correia, com encenação de Rodrigo Francisco.

Os bilhetes para o espectáculo “A Noite da Iguana” serão distribuídos, dois por pessoa, a partir das 17 horas desta segunda-feira, na bilheteira do TMJB. A tradicional mensagem do Dia Mundial do Teatro, este ano da autoria da actriz francesa Isabelle Huppert, será lida antes da peça pelo actor, encenador e realizador Jorge Silva Melo.

Teatro Animação de Setúbal, Setúbal

O TAS – Teatro Animação de Setúbal estreou este sábado, no Teatro de Bolso, a nova produção “Fuga”, com texto de Rui Zink e encenação de Carlos Curto, no âmbito das comemorações do Dia Mundial do Teatro. Trata-se de uma tragicomédia provocadora e comunicativa, plena de referências sobre “a condição mais humana de todas, a fuga”.

Na sequência de um acidente de automóvel, Roberto, um político ambicioso, vê-se perdido entre dois comícios. Não sabe onde está e procura desesperadamente fugir de duas pessoas que o perseguem e lhe chamam filho.

Na pressa, perseguidos e perseguidores cruzam-se com duas estranhas figuras, uma “louca”, que conduz um carrinho de hipermercado dentro do qual transporta o filho, e um toxicodependente provocador.

O espaço vai ganhando contornos mais definidos e estes fugitivos percebem que iniciaram afinal a última viagem.

A “Fuga”, com texto de Rui Zink e encenação de Carlos Curto, para maiores de 12 anos, conta no elenco com André Moniz, Célia David, Duarte Victor, Miguel Assis, Sónia Martins e Susana Brito. Esta segunda-feira, 27 de Março, há uma sessão gratuita às 21h30, com entrada gratuita mediante marcação através do telefone 265 532 402 ou do endereço geral@tas.pt.

Estão ainda previstas novas sessões em Abril –  nos dias 1, 2, 7 e 8 às 21h30, no dia 9 às 16h00, nos dias 28 e 29 às 21h30 e no dia 30 às 16h00.

Festival Vinte e Sete, em Bragança e Vila Real

Durante quase um mês, de 30 de Março a 22 de Abril, Bragança e Vila Real servem de palco à 13ª edição do festival de teatro Vinte e Sete. As duas cidades vão apresentar14 produções teatrais, num programa ecléctico que inclui grandes clássicos da dramaturgia universal e criações eminentemente contemporâneas. O festival tem sido ao longo de mais de uma década uma montra do teatro que se faz em Portugal e 2017 não será uma excepção.

Podes conhecer o programa em detalhe aqui.

Teatro Académico de Gil Vicente, Coimbra

O Teatro Académico de Gil Vicente, em Coimbra, estreia em cena “A Constituição”, encenada por Mickaël de Oliveira e interpretada pelos actores Maria Leite, Miguel Moreira, Paulo Pinto e Pedro Lacerda. Será às 22 horas desta segunda-feira, Dia Mundial do Teatro, integrado na iniciativa END – Festival Encontros de Novas Dramaturgias.

Maria Leite, Miguel Moreira, Paulo Pinto e Pedro Lacerda são os heróis de uma nova sociedade, convidados a escrever uma nova Constituição, sendo que nenhum deles tem experiência na matéria. Propõem-se assim à redação da Constituição mais moderna de sempre e ao debate para descobrir a melhor forma de condensar nesse “super texto” as ideias que vão regular, libertar, oprimir e emancipar um certo futuro, apostando numa revisão total dos princípios que orientam o Estado.

Em “A Constituição”, Mickaël de Oliveira faz uma reconstituição fiel das decisões mais importantes que os atores tomaram durante um curto período de tempo, isolados do mundo, de modo a criar a Constituição perfeita para uma comunidade imperfeita. Este espetáculo integra uma tetralogia dedicada à reflexão em torno das questões políticas, filosóficas e públicas, que orientam a nossa sociedade, composta por “No(s) Revolution(s)” (2015), “A Constituição (2016)”, “A Sauna” (2017) e “Sócrates Tem de Morrer” (2017/2018).

Dia 28, o END apresenta no Teatro Académico de Gil Vicente a peça “Se Eu Vivesse, Tu Morrias”, de Miguel Castro Caldas, também às 22 horas, e no dia 29 poderá assistir a “Antes”, com texto e encenação de Pedro Penim, no mesmo horário.

Teatro Municipal Baltazar Dias, Funchal

“A Noite da Nona Luciana”, uma comédia irreverente e florida, ao estilo de Copi, vai estar em cena esta segunda-feira, 27 de Março, às 21 horas no Teatro Municipal Baltazar Dias, no Funchal. O espectáculo, integrado no programa do Festival Amo-Teatro, conta com tradução de Isabel Alves, encenação de Ricardo Neves-Neves e interpretação dos actores Custódia Gallego, José Leite, Márcia Cardoso, Rafael Gomes, Rita Cruz e Vítor Oliveira, do grupo Teatro do Eléctrico. Vai ser às 21 horas.

Num teatro acontece um ensaio tardio, onde estão presentes o encenador, a actriz e o técnico. O ensaio é interrompido por uma velha striper transsexual, que se envolve num confronto com a Companhia, lançando o espectador numa espiral entre a verdade e o delírio, a paixão e o humor negro.

Depois de Lisboa, Leira e Vila Velha, “A Noite da Dona Luciana” está agora no Funchal. A peça conta com uma nomeação na categoria Melhor Espectáculo do Ano nos Prémios da Sociedade Portuguesa de Autores e uma estatueta para Rita Cruz, na categoria Melhor Actriz de Teatro do Ano.