Karo Tak, a Veganator

8 de Março é dia de celebrar a mulher. E que melhor forma há de o fazer senão destacar mulheres com trabalhos incríveis - Mulheres Shifter. Decidimos mostrar-vos algumas das mulheres que mais inspiraram o nosso ano, mulheres que provavelmente não conheces mas devias!

 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.
Foto de: Alicia Fox

Nome: Karo Tak

Idade: 37 anos

Nacionalidade: Holandesa

Vegan, activista pelos direitos dos animais, com um livro de receitas lançado e uma marca de queijo também ele vegan. Falamos de Karo Tak, uma holandesa de 37 anos que quer mudar o mundo passo-a-passo. Depois de dois anos a viver na Austrália, onde deu aulas de Jivamukti yoga e foi chef de um restaurante vegan, e de passar por 15 cidades diferentes onde foi também professora, Karo está agora em Lisboa e tem vindo a chamar a atenção daqueles que, tal como ela, querem tornar o planeta num lugar melhor.

“I love that I am alive, I love that I am vegan and I love that I have been enabled to live a life of truth, of doing what needs to be done, of saying what needs to be said, a life of serving others, of creating space for people to change”, Karo Tak

Mas porque é que esta mulher merece ser destacada? Perguntam vocês. Não é qualquer um que defende uma causa como esta mulher. Não é qualquer um que tem princípios de vida tão marcados. Não é qualquer um que consegue inspirar-nos.

Karo é neste momento a única professora de Jivamukti yoga em Portugal e é no Foodprintz Cafe, perto do Marquês de Pombal (na Rua Rodrigo da Fonseca), que ensina a sua arte. Yoga, Comida e Educação. São estes os princípios que definem este espaço, onde esta holandesa também transmite os seus ideais através da comida que faz.

O Jivamukti surgiu muito repentinamente na sua vida. A última coisa que se via a fazer era yoga, mas depois de experimentar uma aula percebeu que tinha de fazer chegar este método a mais pessoas.

Karo sobre o Jivamukti yoga:

“I could talk about this for 3 days, 3 weeks, well, forever. Jivamukti Yoga is my everything. I live and breathe it. Jivamukti Yoga is the path to enlightenment through compassion for all beings. An integrated yoga form incorporating ahimsa: the practice of non harming; bhakti (devotion); dhyana (meditation); nada (yoga of sound) and shastra (sanskrit). The founders are such devoted, incredible and talented holy beings who have created such a powerful method which in my eyes will change the world.”

Foi nesta prática que encontrou o complemento ideal para dar ainda mais voz a tudo aquilo que desde pequena defendeu. O Jivamukti yoga é praticamente um estilo de vida e uma das suas principais características é motivar a acção directa sobre as causas em que acreditamos. O amor pelos animais vem desde que era criança. Todos nós temos a fase de adorar cães e gatos, mas Karo teve mais do que isso. Desde de miúda que sempre se interessou pelo bem estar dos animais e foi por isso que, aos 5 anos, decidiu tornar-se vegetariana.

Karo sobre o porquê de ser vegan:

“Well, let’s face it: a lot of people do things (and eat things) because they weren’t told (or know) any different. I am convinced that if people knew the truth about factory farming, about where their food actually comes from, things would be a lot different. I have been crazy about animals ever since I can remember. From a very young age I was very interested and involved in animal welfare. I turned vegetarian when I was only 5 years old. The ongoing never ending love I have for animals is just enormous. It’s a love I have never really felt for anything or anyone else. It’s the fuel that keeps my engine going. Love and compassion are without a doubt my absolute drive in everything I do.”

Foto de Fred Madeira

Se há coisa em que esta Mulher acredita, é no poder que cada um de nós tem dentro de si. Aliás, é essencialmente nesse aspecto que se focam as conversas que organiza, por todos os cantos do mundo, sobre spiritual activism e comida vegan.

O livro

Foi na Sea Sheperd Conversation Society, uma associação sem fins lucrativos que luta pela conservação da vida marinha, que começou a dedicar-se à cozinha vegan. Em 2012 decidiu escrever um livro de receitas cruelty free, isto porque percebeu que muitos dos seus companheiros na associação gostavam de adoptar um estilo de vida vegan mas acabavam por não o fazer porque achavam que cozinhar esse tipo de comida levava mais tempo ou era demasiado caro. O livro surgiu precisamente para mostrar que é possível fazer uma refeição vegan em pouco mais de 10 minutos e de forma económica. Já foi traduzido para alemão, com a ajuda de Lisa Dickman, a melhor amiga e companheira com quem fundou o Foodprintz. Em breve, sairá a versão portuguesa.

Em 2013 criou a sua própria companhia vegan, o The Veganator, que promove eventos, workshops e palestras para ajudar aqueles que procuram iniciar-se neste estilo de vida.

“I am known as The Veganator. It’s what I have been calling myself since 2013. What does a veganator do? Well most of all living by example. Showing people the way to a healthy, plant-based compassionate and happy lifestyle.”

O queijo vegan

2014 foi ano de fazer nascer mais um projecto: o Gopal Vegan Cheese. Trata-se de um queijo criado para os vegetarianos que não se tornam vegan porque não querem abdicar deste alimento. É feito à base de cajus e unicamente com produtos orgânicos e é um dos best sellers do Foodprintz.

Se ficaram curiosos, passem pelo site da Karo Tak. Há imensa informação útil que pode responder às vossas perguntas sobre Juvamukti yoga ou um estilo de vida vegan.
Talvez percebam porque é que a Karo foi uma inspiração tão grande para nós.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!